segunda-feira, 8 de outubro de 2012

- UMA CASA DE ORAÇÃO OU UMA CASA DE SHOWS?


Hipócritas, sabeis discernir a face da terra e do céu; como não sabeis então discernir este tempo? (Lucas12:56)
Por C.H. Spurgeon
Os homens parecem nos dizer: “Não há qualquer utilidade em seguirmos o velho método, arrebatando um aqui e outro ali da grande multidão. Queremos um método mais eficaz. Esperar até que as pessoas sejam nascidas de novo e se tornem seguidores de Cristo é um processo demorado. Vamos abolir a separação que existe entre os regenerados e os não-regenerados. Venham à igreja, todos vocês, convertidos ou não-convertidos. Vocês têm bons desejos e boas intenções: isto é suficiente; não se preocupem com mais nada. É verdade que vocês não creem no evangelho, mas nós também não cremos nele. Se vocês creem em alguma coisa, venham. Se vocês não creem em nada, não se preocupem; a ‘dúvida sincera’ de vocês é muito melhor do que a "fé".

Talvez você diga: “Mas ninguém fala desta maneira”. É provável que eles não usem esta linguagem, porém este é o verdadeiro significado do cristianismo de nossos dias. Esta é a tendência de nossa época. Posso justificar a afirmação abrangente que acabei de fazer, utilizando a atitude de certos pastores que estão traindo astuciosamente nosso sagrado evangelho sob o pretexto de adaptá-lo a esta época “progressista”.

O novo método consiste em incorporar o mundo à igreja e, deste modo, incluir grandes áreas em seus limites. Por meio de apresentações dramatizadas, os pastores fazem com que as casas de oração se assemelhem a teatros; transformam o culto em shows musicais e os sermões, em agulhadas políticas ou ensaios filosóficos. Na verdade, eles transformam o templo em teatro e os servos de Deus, em atores mascarados cujo objetivo é entreter os homens. Não é verdade que o Dia do Senhor está se tornando, cada vez mais, um dia de recreação e de ociosidade?

E a Casa do Senhor, um templo pagão cheio de “ídolos” ou um clube social onde existe mais entusiasmo por divertimento do que o zelo de Deus?

Ai de mim! Os limites estão destruídos, e as paredes, arrasadas; e para muitas pessoas não existe igreja nenhuma, exceto aquela que é uma parte do mundo; e nenhum Deus, exceto aquela força desconhecida por meio da qual operam as forças da natureza. Não me demorarei mais falando a respeito desta proposta tão deplorável.

C.H. Spurgeon
C.H. Spurgeon (1834-1892) era pregador, autor e editor britânico. Foi pastor do Tabernáculo Batista Metropolitano, em Londres, desde 1861 até a data de sua morte. Fundou um seminário, um orfanato e editou uma revista mensal chamada “Sword na Trowel”. Conhecido como “Príncipe dos Pregadores”, Spurgeon escreveu muitos livros e artigos, particularmente na área devocional. Deixou um legado de vida piedosa, marcada por um profundo amor ao Senhor Jesus Cristo e por dedicados esforços para alcançar almas perdidas.

Charlles Spurgeon no século 19 já vislumbrava a crise na fé que creio, nos nossos dias, estar chegando ao seu auge.

Há todo tipo de pregador nos dias de hoje: os que pregam o Evangelho genuíno, cristalino e, por isso, transformador, mas há também os que pregam a prosperidade, as facilidades, um evangelho que não transforma, mas pelo contrário preferem um evangelho adaptador. Venha como estais, Deus te aceita, continue fazendo as mesmas coisas, Deus ama o pecador (esquecem de pregar que Deus odeia o pecado), aliás já tem pregador que não prega sobre pecado e inferno para não "afugentar as pessoas da igreja"!

Evangelho com liberdades (entenda-se libertinagens). Hoje, igreja para demonstração de que tem unção e poder, tem que estar superlotada. A quantidade tem sido mais valorizada que a qualidade de uma vida genuinamente transformada. Já cheguei a ouvir pastor fazer críticas a outros pastores e igrejas dizendo: “minha igreja tem tão pouco tempo e já "estou" com trezentos membros e a igreja tal tem quarenta anos e não passa de uma membresia minguada; lá não tem unção”, como se a quantidade fosse o diferencial para a glória de Deus. Na realidade, aqui o diferencial é a qualidade do “show” e do relacionamento meramente social entre os membros e os visitantes que, em lugares menos privilegiados acabam procurando o local com o melhor “show”.


Um abraço no seu coração!
Fique na Graça e na Paz do Senhor Jesus!
Pr William Thompson

linkedin.com

Um comentário:

marlan vieira thompson disse...

Bom dia!!!
Percebo que nos dias de hoje,todos nós andamos em um ritmo mais acelerado do que antes,até mesmo por estarmos em um momento que tempo é dinheiro.
Mas falando de pessoas pecadoras, sinto que o estrago é tão grande nas suas vidas,que elas precisam até mesmo serem mais lentas no preparo de crer, pra pensar mesmo no que querem.
Tenho visto muitos jovens,achando que Deus é um dos seus amiguinhos e perderam o respeito,com Quem eles estão se relacionando, e não dando o valor merecido ao Senhor.
E assim muitos pastores sendo formados de formas imaturas,e assim jogando com muitas vidas,fazendo com que essas vidas não conheçam o Deus altíssimo,com todo o seu poder e misericórdia.Fazendo na casa do Senhor,(digo nos corações dessas vidas)os seus shows particulares,dando a essas pessoas promessas que não existem,em nome de DEUS.
E assim vemos pessoas sendo levadas, a sempre querer mais,e não se contentando com o simples, temos visto muito dinheiro jogado fora e muitos servos de DEUS sofrendo,pois muitos dentro da igreja estão precisando de uma ajuda.
Mas vejo hoje muitos confundindo o que é Deus,e se perdendo na presença de DEUS.
Deixo Gálatas 6:10,tem sido muito pouco usado na igreja de hoje.
Beijosssss!!!!

- VOCÊ ESTÁ CHEIO DE QUE?

Efésios: 5: 17   Portanto, não sejais faltos de juízo, mas buscai compreender qual é à vontade do Senhor. E não vos embriagueis com vinh...