quinta-feira, 16 de março de 2017

- ELI: A HISTÓRIA DE UM SACERDOTE SURDO E CEGO!


Na bíblia, mais precisamente no Livro de I Samuel, a história de Eli, que era sacerdote e juiz em Israel, se mistura com a história de Samuel, que foi seu pupilo e sucessor. Mas gostaria de me ater à vida de Eli.

Ele era um homem bom, com um coração cheio de boas intenções, mas ao mesmo tempo, com a paz que naqueles dias reinava em Israel, foi se acomodando e criando uma zona de conforto, não percebendo que seu relacionamento com Deus já não era o mesmo. Isso fica patente depois que Ana, mulher de Elkaná e mãe do menino Samuel, uma serva fiel a Deus e seus mandamentos, lhe entrega o pequenino, conforme prometera ao Senhor em voto. Paralelamente à história de Samuel vamos observar a história de Eli. Eli era um homem bom por natureza, e amado por todos que o procuravam em busca de orientação espiritual. O jovem Samuel era especialmente apegado a ele, seguindo fielmente suas instruções. Eli tinha mais orgulho dele que dos seus próprios dois filhos, Hofni e Phineas que, infelizmente, não seguiram os passos do pai. Aproveitando-se de sua posição privilegiada, eles degradaram o sacerdócio aos olhos das massas, praticando suborno e corrupção. Eli repreendia os filhos, mas aparentemente isso não bastava. Fosse como fosse, eles não tentavam melhorar.
Certo dia um profeta levou a Eli uma mensagem severa de Deus. Nela, Eli era culpado pela má conduta dos filhos e foi avisado de que os seus dois filhos morreriam no mesmo dia, e o sacerdócio seria transmitido de sua casa para uma outra.

A mesma profecia logo foi repetida na primeira revelação Divina de Samuel, que ele recebeu quando era ainda muito jovem. Uma noite, quando se deitou para descansar no Tabernáculo em Shiló, Samuel ouviu uma voz chamando seu nome. Ele levantou-se e correu até o idoso Eli, pensando que este o chamara. Porém Eli lhe disse para voltar, pois não o tinha chamado. Isso se repetiu três vezes, e então Eli percebeu que era um chamado Divino. Disse ao rapaz que quando ouvisse a voz novamente, deveria responder: "Fala, ó Senhor, pois Teu servo está escutando."

A mensagem que Samuel recebeu era muito triste: "Veja, Eu farei algo em Israel, que os dois ouvidos de todos que o escutarem deverão doer. Naquele dia Eu farei contra Eli as coisas que falei a respeito dessa casa… Eu castigarei esta casa para sempre, pela ofensa que ele sabia que tornaria seus filhos amaldiçoados, mas não os refreou. A iniqüidade da casa de Eli não será purgada com sacrifício nem oferenda para sempre."
Relutante, o jovem profeta relatou a Divina mensagem a Eli, e o velho respondeu humildemente: "É a vontade de Deus; que Ele faça o que Lhe parecer bom."

Durante algum tempo Israel viveu em paz e não foi incomodado pelos filisteus no oeste. Mas então ouviu-se rumores de guerra, e novamente contra os filisteus. Em Aphek irrompeu uma batalha, e os judeus tiveram de recuar após perderem quatro mil homens. Agora os anciãos de Israel lembraram que nos dias de Josué, a Arca de Deus tinha sido carregada à frente do exército e isso sempre assegurara o sucesso. Foram então a Shiló e exigiram que a Arca fosse tirada do Tabernáculo e levada a eles. Hofni e Phineas pessoalmente acompanharam a Arca sagrada até o acampamento. Sua presença restaurou de imediato a coragem dos israelitas. Assim que a viram, eles deram um grito de guerra, tão alto que a terra tremeu.
Porém era a vontade de Deus que os filisteus triunfassem. Eles lutaram com uma coragem desesperada, e os israelitas foram derrotados novamente; desta vez trinta mil soldados foram assassinados e o restante fugiu em debandada. Hofni e Phineas estavam entre os mortos, e a Arca da Aliança ficou nas mãos do inimigo pagão. A triste profecia sobre a calamidade que estava para se abater sobre a casa de Eli agora se desenrolava em toda a sua tragédia.
Em Shiló, Eli e o povo ali reunido esperavam ansiosos as notícias sobre a batalha. Por fim chegou correndo um enviado da Tribo de Benjamin, com as roupas rasgadas e a cabeça suja de terra. (Segundo relatos hebraicos este mensageiro era Saul, que mais tarde seria rei de Israel.) Eli estava sentado à beira do caminho quando o mensageiro entrou pelos portões da cidade; ele ouviu um clamor. "O que significa este tumulto?" perguntou o ancião, repleto de maus presságios. Sua vista precária não permitiu que visse as roupas do mensageiro e a sua cabeça coberta de terra, que contavam tudo por si mesmas. Ele então aproximou-se e lentamente deu a terrível notícia. "Estou chegando do campo de batalha" – começou ele – e estou fugindo de lá."
Eli, ansioso, interrompeu e perguntou: "O que aconteceu lá, meu filho?"
Então o mensageiro relatou todas as más notícias:
"Nosso povo fugiu dos filisteus, e houve uma grande matança entre o povo, e teus dois filhos, Hofni e Pinechas, estão mortos, e a Arca de D'us foi levada."
Quando Eli soube do destino da Arca, caiu para trás no assento, dominado pela dor, e ali morreu, aos noventa e oito anos, após ter sido juiz durante quarenta anos.

Para nossa tristeza nos dias atuais podemos ver homens que outrora foram chamados por Deus, assim como Eli e se deixaram levar pela comodidade, pela cegueira e aos poucos foram ficando surdos, não conseguindo perceber a degradação espiritual do povo que Deus lhes entregou para guiar segundo a Sua vontade.

Sacerdotes surdos e cegos que não conseguem observar a falência espiritual da congregação, o esfriamento e distanciamento da Igreja e passam os dias a espera de que alguém virá para fazer algo (que eles deveriam fazer) que mude a situação desoladora da igreja, esquecendo-se que cabe a eles o ouvido atendo para a conexão com Deus e a mão firme para manejar o cajado.

Eli morreu tragicamente. Sua linhagem sacerdotal foi quebrada e passada para Samuel. Hoje, pela cegueira e surdez, ministérios estão quebrados, igrejas estão “falindo” de todas as formas: espiritual, moral, financeira etc.

Eli é um exemplo bíblico do que não devemos fazer como servos de Deus, do que não podemos deixar acontecer dentro de nossas casas.

Faça uma análise constante de sua vida e de seu ministério, seja prudente com os ouvidos e os olhos ligados no que Deus está falando e fazendo e tenha uma vida longa e abençoada, pois do contrário...


"Procura apresentar-te a Deus como obreiro aprovado, que não tem do que se envergonhar e que maneja bem a Palavra da Verdade." 2 Timóteo 2:15 

Um abraço no seu coração
Fique na Graça e na Paz do Senhor
Pr William Thompson

Nenhum comentário: