sexta-feira, 16 de junho de 2017

- DEIXANDO A ANSIEDADE NA CRUZ


Filipenses 4:6-9

6 - Não estejais ansiosos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças.

7 - E a Paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus.
Alguém disse que a ansiedade é o mal de século, mas se repararmos Paulo escreve esta carta há dois mil anos atrás e já falava aos crentes de Filipos para que não andassem ansiosos. Isto nos mostra que a ansiedade acompanha a humanidade há milênios. Ela faz parte da vida do homem desde o momento em que ele se separa de Deus no Jardim do Edem. Imagine a ansiedade no coração de Adão com o que acabara de acontecer e pelo desconhecido que estava por vir.

A Palavra de Deus nos remete a vários textos que nos explicam que os filhos de Deus não devem andar ansiosos, nem preocupados e a razão básica é a existência do próprio Deus.

Quando Paulo escreve este texto ele está preso em Roma, aguardando um julgamento com a acusação de que ele era um preso político, traidor de Roma, conspirador com Cesar, pois ele pregava que só Jesus Cristo era o Senhor. Paulo recebe a visita de Epafrodito que lhe entrega o dinheiro de uma coleta feita entre os cristãos da igreja de Filipos e também notícias de igreja.

Paulo escreve esta carta, que foi levada de volta pelo mesmo Epafrodito e na carta ele responde algumas indagações da igreja, diz que aquele dinheiro veio numa hora boa, ele estava passando muitas necessidades em Roma e no texto que acabamos de ler ele orienta a igreja a viver uma vida sem preocupações apesar das dificuldades presentes.

A raiz da palavra ansioso no grego quer dizer “dividido”. Uma pessoa ansiosa  está dividida entre pelos menos duas situações. A ansiedade tem haver com o futuro. O ansioso quer, pelo menos, saber o que está por vir ou, quando não, quer que algo aconteça o quanto antes. Isso nos remete a duas situações: medo e desejo (MEDO DO QUE ESTÁ POR VIR OU O DESEJO DE QUE ALGO ACONTEÇA LOGO).


Abandonar a Ansiedade:
A tarefa mais difícil dos cristãos!

"Pois ele te livrará do laço do passarinheiro e da peste perniciosa. Cobrir-te-á com as suas penas, e, sob suas asas, estarás seguro; a sua verdade é pavês e escudo" (Sl 91.3-4).

Embora em muitas passagens da Bíblia tenhamos promessas da fidelidade, da provisão e da proteção de Deus, a tarefa mais difícil dos cristãos, a meu ver, consiste em seguir a ordem expressa nas três palavras "não andeis ansiosos".

Uma senhora idosa disse certa vez que havia sofrido muito, principalmente por causa de preocupação e medo de coisas que nunca aconteceram. Corrie Ten Boom disse sobre este assunto:
"Eu creio que, quando nos preocupamos, praticamente nos comportamos como ateus. Ou cremos em Cristo, ou não cremos. Ele disse: "Eu venci o mundo". Ele venceu? Ou Ele apenas nos prega uma peça de mau gosto?"
Muitas vezes procedemos como pessoas que usam o elevador, mas não colocam a pesada mala no chão, preferindo segurar todo o peso. Na verdade somos crentes, mas simplesmente não nos aventuramos a entregar a nossa carga de preocupações Àquele que quer se preocupar conosco, que cuida de nós e nos conclama na Bíblia:
Não se preocupem!

Na prática, como demonstramos que "não nos preocupamos com nada"?

Filipenses 4.6-7 nos diz:
"Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graça. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus."

A exortação de Deus "Não andeis ansiosos" não é um conselho amoroso, um desejo ou um pedido, mas uma ordem! Nela somos chamados a assumir a tarefa mais pesada dos cristãos.

De fato existem muitas coisas que podem nos preocupar. Problemas familiares: o que será dos nossos filhos? o que acontecerá se eu perder o emprego – o dinheiro ainda será suficiente para todos? Nos negócios: nos últimos anos as coisas correram bem. Mas neste novo, será que venceremos todos os obstáculos? Outras preocupações: medo de câncer, medo de infarto, de qualquer outra doença ou de um acidente. Medo de alimentos que prejudicam a saúde, da morte repentina, da guerra, da inflação... Talvez sobre a prancheta com a lista das preocupações até existam coisas das quais poderíamos dizer: "Nesse caso, tenho razão em me preocupar". Todavia, simplesmente devemos concordar que esse procedimento é totalmente contrário à ordem de Deus: "Não andeis ansiosos de coisa alguma".
Racionalmente nos preocupamos de fato, mas o cuidado de Deus está acima do nosso entendimento. Por isso também está escrito a esse respeito: "Não andeis ansiosos... E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus" (Fp 4.6-7). 
A paz que Deus dá excede e vence qualquer dúvida da nossa mente e supera todas as ansiedades, pois está enraizada na pura confiança em Deus. Em todas as lutas da vida, quando Ele enche nosso coração com paz celestial, guarda-nos na comunhão com Cristo Jesus.

Não andeis ansiosos, porque o nosso Deus é grande!

Por que a Bíblia insiste tanto para que, como cristãos renascidos, não nos preocupemos? ”Não andeis ansiosos”... Porque nisso resplandece a grandeza de Deus que excede a tudo. O Eterno, o Guardador da nossa vida, é tão poderoso e tão preocupado conosco que realmente não precisamos estar ansiosos por nada. É uma honra para Ele assumir todas as nossas preocupações.

(MAS O PASTOR ACABOU DE DIZER QUE DEUS TAMBÉM É PREOCUPADO! 
SIM, MAS ELE NÃO ESTÁ PREOCUPADO COM O FUTURO DELE, ESTÁ PREOCUPADO CONOSCO, POR QUE SOMOS PERITOS EM METER OS PÉS PELAS MÃOS)

Por isso Pedro diz: "lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós" (1 Pe 5.7). Certamente, uma coisa não funciona sem a outra. Somente quando lançamos todas as nossas ansiedades sobre o Eterno, Ele também cuida de nós. Mas se arrastamos as nossas ansiedades junto conosco, então nós mesmos criamos muita aflição, muito sofrimento e muita inquietação. Além disso, toda preocupação não adianta nada, pois o próprio Senhor Jesus diz: "Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso da sua vida... vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas" (Mt 6.27 e 32b). Quem assim mesmo tenta resolver sozinho seus próprios problemas mostra que não reconhece a grandeza de Deus, ou seja, torna o Senhor pequeno e rouba-Lhe a Sua honra!

Veja se essas perguntas que podem ser úteis para você:
Você crê que o Senhor Jesus ouve as orações? 
Você crê que Deus cuida de nós?
Você crê que Deus zela pelos nossos interesses?
Você crê que Deus consegue resolver mesmo as nossas maiores dificuldades?
Você crê que nada em nossa vida passa despercebido para o Senhor Jesus?
Você crê que Deus é Todo-Poderoso?
Você crê que Deus nos dirige e faz com que tudo contribua para o nosso bem?

Se você pode responder a todas estas perguntas afirmativamente – então, por que ainda se preocupa?

A cruz – expressão máxima da preocupação de Deus conosco!

A cruz do Calvário é o lugar onde podemos descarregar todas as nossa ansiedades e preocupações, todos os pecados, todas as aflições. A cruz é a maior prova do cuidado de Deus por nós, ali temos ajuda. Justamente na cruz, o Senhor nos mostra o quanto está preocupado conosco. Está escrito em João 19.25-27: "E junto à cruz estavam a mãe de Jesus, e a irmã dela, e Maria, mulher de Clopas, e Maria Madalena. Vendo Jesus sua mãe e junto a ela o discípulo amado, disse: Mulher, eis aí teu filho. Depois, disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. Dessa hora em diante, o discípulo a levou para casa." Até em meio ao Seu próprio sofrimento, quando estava dependurado na cruz, cheio de dores, o Senhor se preocupou com Sua mãe e com Seu discípulo João. Que maravilhoso exemplo do amor e do cuidado de Deus!

Devemos levar todas as nossas preocupações até a cruz; por isso Paulo nos diz: "Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graça. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus."

Assim como não devemos nos preocupar por "coisa alguma", devemos fazer conhecidas "em tudo" as nossas petições a Deus, com ações de graça.

"Em tudo" significa que não existem coisas, por mais pequeninas ou maiores que sejam, pelas quais não devêssemos orar. Não deveríamos administrar algumas coisas por nossas próprias forças, deixando outras por conta de Deus. Nosso Pai celeste tem poder para resolver todos os nossos problemas.

Devemos orar e suplicar "com ações de graça". Devemos agradecer ao Senhor por benefícios já recebidos e agradecer no presente pela certeza dos benefícios futuros.

"E esta é a confiança que temos para com ele: que, se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve. E, se sabemos que ele nos ouve quanto ao que lhe pedimos, estamos certos de que obtemos os pedidos que lhe temos feito" (1 Jo 5.14-15).


Um abraço no seu coração
Fique na Graça e na Paz do Senhor Jesus
Pr William Thompson

Nenhum comentário: