quarta-feira, 10 de julho de 2013

- O DESERTO DA REBELDIA



“Deus faz que o solitário viva em família; liberta os presos e os faz prosperar; mas os rebeldes habitam em terra árida.” (Sl 68:6)

Quando a base é quebrada e entra a rebeldia, entra também a insanidade, o transtorno e a catástrofe. Essas são as consequências que vêm como visitação real. Todo ato de rebeldia é revelação de insanidade. O indivíduo que não se submete é insano.
Introdução: Rebeldia não se administra, rebeldia se resolve. Nós precisamos aprender com Deus como vencer a rebeldia, porque Deus não administra a rebeldia, Ele elimina o problema.

Se você ouvir alguma coisa sobre rebeldia, corra e resolva. Não deixe para depois. Com a rebeldia não se brinca e nem se deixa para depois. Deus foi imparcial com Lúcifer, expulsando-o e mesmo assim, ele ainda levou consigo um terço dos anjos, que já haviam aderido à rebeldia e, quando se deram conta, já eram demônios.

A Igreja na Visão Celular tem uma geração que pode caminhar sem traumas, por princípios, entendendo que é sadio ter um líder a quem se submeter e que só se submetem os inteligentes.

Estar em submissão é estar sob a missão de alguém ou de algo. Significa que há alguém sobre nós. Deus é um Deus de hierarquia. Deus abomina a rebeldia e tudo o que possa se parecer com ela. A rebeldia nos leva para o deserto. Isso é uma grande verdade.

Na saída do povo hebreu para a terra prometida, os que se rebelaram contra Moisés ficaram no deserto. Para cada rebelde, existe um deserto diferente. Portanto, você que é discípulo da Visão Celular, elimine a rebeldia da sua vida.


1. O que é um rebelde
“...mas os rebeldes habitam em terra árida.” (Sl 68:6)
Muitos pensam que o rebelde é apenas aquele que se levanta, que divide, que fala alto. Porém, há muitos rebeldes sublimados na Igreja, que prometem fidelidade ao pastor e ao líder, mas na primeira oportunidade falam pelas costas e não se submetem. E, após serem confrontados, mentem, porque todo rebelde é mentiroso e também dissimulado, falso.

O rebelde consegue enganar por um tempo até mesmo os líderes linha de frente. Sobre o rebelde, há uma malignidade do espírito de engano. Precisamos ter muito cuidado com a rebeldia no meio da Igreja.

No Salmos 68:6 vemos que a rebeldia abre um caminho para o rebelde andar: o deserto, chamado caminho da solidão. O que encontramos em meio ao deserto? Serpentes e escorpiões.

No deserto, o rebelde passa por muitos traumas. E se engana por pensar que seus problemas de rebeldia podem ser administráveis. Porém, o que o rebelde precisa não é administrar problemas, mas resolvê-los.

Deus não tolera a rebeldia e a Bíblia fala nesse texto de um homem solteiro, que ainda não constituiu uma família. A promessa é que Deus entregará a esse homem uma família e ainda o fará prosperar. Logo, concluímos que todo homem que casa entra na veia da prosperidade. Mas, não esqueça que é necessário remover a rebeldia para que esse decreto bíblico se cumpra.

O decreto bíblico é que ao solitário será dada uma família, mas quanto ao rebelde, será colocado no caminho do deserto.


Onde teve começo as rebeliões

1. A primeira rebelião
“Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria...” (Ez 28:17)

Na base do Trono de Deus, foi constituída a primeira rebelião diante de uma reivindicação de direitos iguais e um desejo egocêntrico de ser maior que Deus, ou seja, houve quebra de princípio de autoridade. Foi aí que Lúcifer caiu.

Existe um grande perigo quando alguém coloca no coração ser maior que o outro. Primeiro porque não é bíblico e segundo por causa da rebeldia. Normalmente os que desejam grandezas e reconhecimentos, desejam de forma equivocada e não estão dispostos a trabalhar por amor ao Reino de Deus.


2. A segunda rebelião
“E, ouvindo a voz do Senhor Deus, que passeava no jardim à tardinha, esconderam-se...” (Gn 3:8)

A segunda rebelião começou na família. Satanás entra e coloca Eva contra Adão e depois coloca ambos contra Deus. O que aconteceu foi que, quando Deus veio, Ele não tolerou a rebeldia e colocou os dois para fora do Éden.

Deus não permitiu que Adão e Eva continuassem no paraíso, ou seja, Deus os tirou do lugar da regalia. Isso significa que precisamos seguir o exemplo de Deus e não fazer o que muitas vezes fazemos diante de alguém que se rebela contra nós. Não podemos deixá-las no lugar da regalia. As pessoas têm que sentir que toda rebelião tem perda. E as perdas são incomensuráveis. Não há definição para as perdas que um rebelde recebe sobre a sua vida.

Quando Satanás mexeu nas bases da família, o Senhor os tirou do Éden. Deus não tirou Adão e Eva do paraíso para castigá-los, mas para esclarecê-los que Deus não tem aliança com a rebeldia e que, ao entrarem em rebeldia, precisavam se reconciliar com Deus, pois haviam perdido a comunhão com Ele.


3. A terceira rebelião
“...não sejas rebelde contra ele, porque não perdoará a tua rebeldia;”(Êx 23:21)

A terceira rebelião começou na base de uma Nação. Deus sempre alertou Israel acerca da rebeldia, mas por muitas vezes, Israel não reconhecia a Deus como Senhor. Assim como à nação escolhida por Deus, o mesmo alerta serve para nós.

Ao ser quebrada a terceira base, as catástrofes entraram na nação. A rebeldia não deve ser tolerada, nem os rebeldes. A nação sofre as consequências dos seus governantes, por isso eles devem pedir perdão a Deus pelos seus atos rebeldes.


4. A quarta rebelião
“Então Simão Pedro, que tinha uma espada, desembainhou-a e feriu o servo do sumo sacerdote, cortando-lhe a orelha direita.” (Jo 18:10)

A quarta rebelião começou no meio da equipe de Jesus. Judas era Apóstolo e traiu Jesus. Pedro, outro Apóstolo da Sua equipe, possuía doutrina, mas mesmo assim deixou que demônios entrasse nele.

Momentos antes da crucificação, Pedro desembainha a espada e fere o servo do sumo sacerdote, Malco, mesmo sabendo que o Mestre não queria que nenhum de Seus discípulos causasse transtorno. Ora, se os demônios puderam entrar em um Apóstolo da equipe de Jesus, imagine o que pode acontecer com outras pessoas?

Pedro, por muitas vezes, teve dificuldade em seguir o que lhe era estabelecido, por ser uma pessoa indisciplinada. Porém, um dia, Pedro decidiu remover a rebeldia de sua vida e seguir definitivamente os padrões do Reino, vivendo os princípios do Evangelho. A Bíblia conta que ele se tornou um Apóstolo poderoso e cheio do Espírito Santo.

Em Atos 5:1-11, Pedro, cheio da unção, teve o discernimento que Ananias estava mentindo ao entregar sua oferta. Ele mentiu ao Espírito Santo e morreu, ele e sua esposa. Safira morreu por ter sido cúmplice da mentira do seu marido.

Quando deixamos de buscar a Deus cumprindo os Seus decretos, outro deus vem e ocupa o lugar (Mt 12:43-45). Nós fomos chamados para sermos o templo do Espírito Santo, mas quando nos rebelamos, entram sete demônios. Quantas pessoas você conhece que andaram com Jesus, se desviaram e hoje andam piores do que o seu primeiro estágio?

Devemos tomar cuidado com o que fazemos, falamos e pensamos. Em nosso coração, não deve haver lugar para a rebeldia.


Um abraço no seu coração
Fique na Graça e na Paz do Senhor Jesus
Pr. William Thompson




Este texto foi escrito por Garcia Montoza e adaptado ao ADORADOR EXTRAVAGANTE.

Nenhum comentário: