terça-feira, 25 de setembro de 2012

- A PROVA



Gostaria que você lembrasse agora dos seus tempos de sala de aula. O professor, seus colegas, inspetores, a hora do recreio, a sua merenda e aí por diante. Na escola todos nós vivemos momentos maravilhosos, com aprendizado, brincadeiras, respeito aos coleguinhas, professores etc.
Certamente você vai fechar os olhos e vai lembrar-se de algumas situações e vai até abrir um sorriso, mas eu quero te levar para um momento mais estressante: a semana das provas!

Quantas vezes nós perguntávamos aos professores: “o que vai cair na prova?” e um que era bem sádico dizia: “só três coisas: a matéria toda!”
Era uma correria só, pois o professor sabia que tinha explicado tudo que nos era necessário aprender e agora chegara o momento de mostrar que as lições foram aprendidas.

“Guardem todo o material; em cima da carteira somente o lápis e a caneta”; as provas eram entregues e vinham em seguida os avisos: “não olhem para os lados, quem for pego colando vai tirar zero. Podem desvirar as provas” e vinha um silêncio total e um nervosismo geral e o mais interessante: o professor que passava todas as aulas como o ser mais falante do mundo naquele momento tornava-se alguém extremamente silencioso apenas nos observava com um olhar muitas vezes desafiador que chegava dar um frio na barriga!

Você deve estar perguntando aonde o pastor quer chegar com isso?

Já vou te responder!

É interessante como a nossa vida física, material e existencial se remete a tudo o que Deus nos mostra na Sua palavra. Existem pessoas que dizem que o espiritual imita o material, mas é exatamente o contrário, a nossa vida física e carnal é comandada pelo Espírito de Deus e a realidade é que nós repetimos neste mundo tudo que Ele faz no mundo espiritual.

Em fim, de tempos em tempos Deus nos prova para ver se realmente temos aprendido e absorvido àquilo que Ele quer que aprendamos e muitas e muitas vezes nós não entendemos esses momentos; murmuramos, deixamos a nossa carne falar mais alto, a nossa fé se desfalece e reclamamos: “onde está o meu Deus que não se move a meu favor?”

Se você está sendo provado, tenha certeza, Ele está bem do seu lado, mas o silêncio dEle é de suma importância para a nossa aprovação, para a nossa vitória; assim como o professor lá na sala de aula, Deus também se cala e passa a observar o nosso comportamento no momento da prova. É bastante comum as pessoas confundirem provação com tentação. Deus não tenta ninguém, a Palavra nos diz em I Corintios 10:13 -  Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar.  

É importante nós entendermos que a provação não vem para que sejamos reprovados. Assim como na escola, a cada aprovação nós passamos para um estágio mais avançado de fé, crescimento espiritual e intimidade com o Pai, pois a vontade dEle que cresçamos até a estatura de varão perfeito: Efésios 4:13 - 15 - Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo. Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente. Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo.

E estejamos certos de Aquele que iniciou a boa obra em nossa vida é fiel para completá-la até o dia da volta de Cristo: Filipenses 1:6 - ...Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo...

O silêncio de Deus não significa ausência de Deus e a prova é pro nosso bem, crescimento é avanço na direção do alvo que é estarmos frente a frente com o Filho na glória para todo o sempre. 

Assim como na escola nós vibrávamos quando ao final do ano recebíamos o boletim nos aprovando para um nível mais alto de aprendizado, o Pai também fica feliz quando passamos pela prova e somos aprovados. Ele sabe que estamos preparados para coisas maiores no Reino.


Não reclame, não murmure, não desista, a prova é necessária para moldar o nosso caráter, a nossa personalidade, nos tornar mais humildes e fazer o Pai dizer: "Este é meu filho amado, em quem me comprazo." Mateus 3:17
Silêncio por favor; a prova pode começar a qualquer momento...

Um abraço no seu coração
Graça e Paz
Pr William Thompson

terça-feira, 18 de setembro de 2012

- QUEM TEM EMBARCADO NO SEU NAVIO?


Creio que todos nós conhecemos a história de Jonas. A maioria conhece apenas a parte de Jonas na barriga da baleia e ponto. (no Antigo Testamento lemos sobre um grande peixe, no Novo testamento Jesus relata em Mateus 12:40 que Jonas permaneceu 3 dias no ventre da baleia; mas isso não vem ao caso agora!).

Eu quero abordar a situação por um ângulo que nunca vi ninguém pregar ou se quer questionar. Quero falar do capitão do navio e sua tripulação. Isso mesmo. Pelo que lemos na Bíblia eles não eram servos do Deus de Jonas, eles não conheciam Jonas, eles apenas comandavam a embarcação e sequer imaginavam o que estava para acontecer!

Apesar de desconhecer o Deus de Jonas àquele comandante era um homem inocente e cria plenamente que seria capaz de conduzir aquela embarcação até Tarsis. Imagine quantas vezes ele já tinha feito àquela viagem, para ele era só mais uma.

Mas Jonas estava fugindo dos planos de Deus e o capitão desse barco inocentemente vendeu uma passagem para um desobediente. Isso acarretou consequências terríveis porque Deus foi cobrar Jonas em alto mar, e o capitão sem saber o que se tratava, manda jogar as coisas fora a fim de aliviar o peso da nau e nada da tempestade passar. Quando ele desce ao porão e vê Jonas tranquilão, dormindo, fica indignado, pois todos à bordo estão tentando salvar a embarcação e suas próprias vidas e Jonas...

Pergunta o capitão: - O que você está fazendo aí?!

Jonas responde: Ué, você me vendeu a passagem e eu estou aqui (*estou fugindo de Deus - rsrsrsrsrsrs).



Moral da história:

Quem você tem deixado entrar no barco da sua vida?!

São pessoas que estão fugindo de Deus, ou pessoas que têm compromisso com Ele?!

Nós abrimos a porta da nossa casa e até nossas próprias vidas para pessoas que nem conhecemos direito, criamos amizades profundas com gente que vimos apenas uma vez, e com isso acabamos deixando pessoas erradas entrarem em nossas vidas, criando tempestades e nos fazendo jogar fora coisas boas e até bênçãos, por não saber o que está acontecendo.
Enquanto nós estamos nos desesperando na tempestade, a pessoa está dormindo tranquila.

Falo isso por experiência própria de deixar pessoas erradas entrarem em minha vida.

Reveja quem você tem colocado na sua vida (desde namorados (as), amigos e etc..), para que não lhe cause tempestades e, lhe faça jogar fora coisas boas, que você tem lutado para ganhar com o decorrer dos anos!

Quem nós temos deixado entrar em nossa vida?!


(*griffus nossus)


Um abraço no seu coração e medite
Graça e Paz
Pr William Thompson

domingo, 16 de setembro de 2012

- O SONO! NO LIMITE DA LUZ COM AS TREVAS!



(Atos 20:7-11) - E no primeiro dia da semana, ajuntando-se os discípulos para partir o pão, Paulo, que havia de partir no dia seguinte, falava com eles; e prolongou a prática até à meia-noite.
 E havia muitas luzes no cenáculo onde estavam juntos.
E, estando um certo jovem, por nome Êutico, assentado numa janela, caiu do terceiro andar, tomado de um sono profundo que lhe sobreveio durante o extenso discurso de Paulo; e foi levantado morto.
Paulo, porém, descendo, inclinou-se sobre ele e, abraçando-o, disse: Não vos perturbeis, que a sua alma nele está.
E subindo, e partindo o pão, e comendo, ainda lhes falou largamente até à alvorada; e assim partiu.

Experimente apagar as luzes e acender apenas uma lanterna, pequena, observe a marca que fica na parede mostra o limite da luz com  escuridão (trevas).



VEJAMOS:  UM JOVEM... COM SONO!

Olhemos para o texto que lemos no livro dos Atos dos Apóstolos. Ali, iremos encontrar um jovem... com sono!

 Em Trôade, Paulo participa de uma reunião com os cristãos daquela região. Versículo 7: “No primeiro dia da semana, estando reunidos com o fim de partir o pão, Paulo exortava-os e prolongou o discurso até à meia-noite.” Eis a reunião. Não é uma reunião qualquer. É uma reunião que ocorre em um dia especial: o primeiro da semana, ou seja, o domingo. É uma reunião com uma finalidade específica: partir o pão,  trata-se de uma reunião de comunhão. É uma reunião que conta com um visitante ilustre; Paulo seguiria viagem no dia seguinte, portanto, era preciso aproveitar até o último minuto a valiosa presença do apóstolo.

Paulo devia ter muito a dizer à igreja, pois “prolongou o discurso até à meia-noite”. E foi aí que algo inusitado aconteceu; uma cena digna da coluna “vídeo-cassetadas”! Versículo 9: “Um jovem, chamado Êutico, que estava sentado numa janela, adormecendo profundamente durante o prolongado discurso de Paulo, vencido pelo sono, caiu do terceiro andar abaixo e foi levantado morto.” O protagonista da lamentável e até ridícula cena é um jovem (talvez, um adolescente). Podemos até imaginar a displicência desse jovem. Lá estava ele, sentado na janela, em uma casa que tinha três andares. Diz o texto que Êutico “adormeceu profundamente”, foi “vencido pelo sono”.
talvez alguns  saiam em defesa de Êutico dizendo que Paulo discursou demais; não precisava ter falado tanto, até a meia-noite. Pode ser! Mas, o fato é que Êutico dormiu na hora errada e no lugar errado. Foi “vencido pelo sono” durante um culto, durante uma pregação de Paulo. Dormiu sentado na janela de uma casa que tinha três andares. O resultado é óbvio: devido à queda, o jovem Êutico, que devia estar morrendo de sono, literalmente, morreu de sono! Segundo o texto, caiu e “foi levantado morto”!


Êutico estava no limite da luz com as trevas.
Digamos que sentado numa janela no terceiro andar ele poderia observar o que acontecia dentro do auditório, (e o texto nos diz que havia muita LUZ) ele podia observar e até ouvir o que Paulo falava, mas também, podia ver e ouvir os apelos das trevas (tipo Raimundo: um pé na Igreja e outro no mundo). Não havia iluminação pública e a escuridão do lado de fora era intensa e o jovem Êutico queria observar o que as trevas ofereciam!
Existem muitos entre nós que vivem assim! (I Corintios 11:30) - Por causa disto há entre vós muitos fracos e doentes, e muitos que dormem.

O SONO E A MORTE
 Nas Escrituras Sagradas, em muitos momentos o sono aparece relacionado às trevas, ao pecado, à fuga, ao fracasso e à morte. Podemos citar aqui, rapidamente, alguns exemplos:
Sansão, seduzido e traído pela mulher a quem amava. Após muita insistência, ele revela a verdade: “Então, Dalila FEZ DORMIR Sansão nos joelhos dela e, tendo chamado um homem, mandou raspar-lhe as sete tranças da cabeça; passou ela a subjugá-lo; e retirou-se dele a sua força.” (Juízes 16, 19).


Outro exemplo é o de Jonas. Profeta escolhido por Deus para pregar em Nínive, Jonas recusou-se a levar a Palavra do Senhor para que os ninivitas, chegassem ao arrependimento e à salvação. Orientado a tomar o barco na direção daquela cidade, o profeta resolveu fugir de sua missão. No meio da viagem, Deus enviou uma grande tempestade que quase despedaçou o navio. Enquanto isso, Jonas DORMIA profundamente no porão do navio. “Chegou-se a ele o mestre do navio e lhe disse: Que se passa contigo? AGARRADO NO SONO? Levanta-te, invoca o teu deus; (Jonas 1, 6).

Um terceiro exemplo são dos discípulos de Jesus no Jardim do Getsêmani. Estão ali Pedro, Tiago e João. O momento é de grande agonia. Jesus pressente a chegada da hora mais difícil. Diz o Mestre: “a minha alma está profundamente triste até à morte; ficai aqui e vigiai.” (Marcos 14, 34). Por três vezes o Senhor Jesus orienta os seus discípulos a vigiarem e a orarem e, por três vezes, os encontra DORMINDO, por que “os seus olhos estavam pesados” de SONO. E Jesus os repreende: “AINDA DORMIS E REPOUSAIS! Basta!” (Marcos 14, 41)

Agora, quem dorme é o jovem Êutico. O seu sono é um sono fora de hora e fora de lugar. O sono de Êutico é o sono que leva à morte.
Quem vive no limite da Luz com as trevas está trilhando caminho de morte!



QUEM DORME ESTÁ DIZENDO: “TÔ NEN AÍ...”
QUEM  DORME NÃO PARTICIPA, NÃO OPINA, NÃO  OUVE, NÃO TEM O QUE TESTEMUNHAR, OS FATOS ESTÃO SE DESENROLANDO À SUA VOLTA E ELE  “... NEM AÍ...”

Conclusão: DESPERTANDO DO SONO DE ÊUTICO!

O sono de Êutico é para nós um símbolo. É o sono do desinteresse! É o sono do descompromisso! É o sono das músicas e dos louvores alienantes! É o sono da vaidade dentro da igreja! É o sono do individualismo! É o sono do consumismo! É o sono dos modismos! É o sono daqueles que não querem pensar! É o sono daqueles que não querem aprender! É o sono dos desanimados! É o sono dos que não querem trabalhar na igreja ou para a igreja!

O sono de Êutico é para nós um símbolo. Símbolo de um povo amortecido! Símbolo de um povo que dorme, mas não sonha! Símbolo de um povo que não incomoda! Símbolo de um povo que não transforma! Símbolo de um povo que não revoluciona! Símbolo de um povo que não subverte! Símbolo de um povo que não deixa a sua marca! Símbolo de um povo que envelhece!

Entretanto, é preciso esperança! A história do jovem Êutico não termina com o seu sono ou com a sua morte: “Descendo, porém, Paulo inclinou-se sobre ele e, abraçando-o, disse: Não vos perturbeis que a vida nele está. (...) Então, conduziram vivo o rapaz e sentiram-se grandemente confortados.” (Atos 20, 10 e 12)
“A vida nele está”, são as palavras de Paulo.  A história do jovem Êutico termina com ressurreição!

(I João 1:7) -  Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado.

“Desperta, ó tu que dormes, levanta-te de entre os mortos, e Cristo te iluminará.” (Efésios 5, 14) Amém.

Um abraço no seu coração
Graça e Paz 
Pr. William Thompson

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

- CORDA NA BARRIGA OU CORDA NO PESCOÇO



Há elementos no ministério que têm envergonhado o Senhor Jesus – autor e modelo do ministério pastoral. Lideres que se apascentam a si mesmos, investindo em sua glória pessoal. Que estão mais comprometidos com a sua imagem do que com a imagem de Cristo em suas vidas. Elementos arrogantes e auto-suficientes, muito longe da humildade que Jesus ensinou (Mt 11.29). Homens, segundo Paulo, que são “inimigos da cruz de Cristo” (Fl 3.18).

Estes cidadãos estão com a corda na barriga, negociando princípios, fazendo vista grossa para o pecado dentro de casa e da igreja, motivados pela autopromoção e outros benefícios. Homens alienados. Paulo diz que “o destino deles é a perdição, o deus deles é o ventre, e a glória deles está na sua infâmia, visto que só se preocupam com as coisas terrenas” (Fl 3.19).

É lamentável ver líderes tão megalomaníacos! Eles amam ser reconhecidos. Caçam elogios. Os falsos obreiros denunciados por Paulo são dissimulados, arrogantes e superficiais. Falam muito bem. São ‘jeitosos’. São profissionais do púlpito. Não têm coração sensível. Não têm paciência com as pessoas. Não alimentam as ovelhas. Andam amaciando a mensagem. Andam pregando outro evangelho. Não são profetas de Deus. Como ensina Judas, “estes homens são como rochas submersas, em vossas festas de fraternidade, banqueteando-se juntos sem qualquer recato, pastores que a si mesmos se apascentam; nuvens sem água impelidas pelos ventos; árvores em plena estação dos frutos, destes desprovidas, duplamente mortas, desarraigadas; ondas bravias do mar, que espumam as suas próprias sujidades; estrelas errantes, para as quais tem sido guardada a negridão das trevas, para sempre” (Judas: 12,13).

Este é o diagnóstico daqueles cujos ouvintes os seguram com uma corda na barriga, no ventre, por causa da sobrevivência no ministério pastoral. Que Deus, por Sua graça e misericórdia, nos livre desta corda na barriga, da zona de conforto e da infâmia do profissionalismo frio. É triste dizer que estes elementos não estão comprometidos com a oração e nem com a Palavra de Deus. A mensagem da cruz passou longe deles. Aliás, esta é uma mensagem impopular. Para quem tem a corda na barriga, o negócio é pregar de tal maneira que o povo se sinta sempre confortável e entre pelo caminho da mera prosperidade material.

Mas é infinitamente melhor ter a corda no pescoço, puxada por enforcadores  insatisfeitos com a mensagem do evangelho bíblico, com a exortação e a confrontação profética. Não podemos abrir mão do nosso compromisso com o Senhor, com a mensagem da cruz (1 Co 1.18). Não fomos chamados para a popularidade, mas para, acima de tudo, ter um compromisso com o Senhor, mesmo que paguemos com a vida.

João Batista perdeu a sua cabeça física, foi degolado, porque havia denunciado o pecado de Herodes Antipas com a sua cunhada, mulher de seu irmão. João não tinha corda na barriga, mas no pescoço. O seu compromisso era com o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo (Jo 1.29). Ele amou mais o Senhor do que a sua própria vida. Um homem comprometido com a verdade do evangelho e alimentado pela graça, sendo um homem denso e intenso na sua labuta e na sua relação de intimidade com o Senhor.

José é outro precioso exemplo de alguém que sabe dizer não ao pecado e sim para Deus. Ele foi para prisão sendo acusado injustamente de assédio sexual pela mulher de Potifar. São homens desta envergadura que precisamos no ministério pastoral. Homens cheios do amor do Pai, da graça de Cristo e do poder do Espírito Santo. Que negam a si mesmos, tomam a cruz, seguem e servem ao Senhor Jesus com profunda alegria. Suas entranhas fervilham amor pelo Senhor e pelas almas. Vivem a integridade do Espírito Santo. Há contentamento em servir ao Senhor.

Deus requer de nós, pastores, seriedade na missão dada por Ele. Este é um tempo de muita confusão no seio da igreja evangélica brasileira. Há muitos ministérios personalistas, antropocêntricos. Quando Charlles Spurgeon pregava, as pessoas diziam: ‘Que Cristo maravilhoso!’. Por quê? Porque a mensagem do chamado príncipe dos pregadores tinha o Senhor Jesus Cristo como o centro e como a razão da sua vida e do seu ministério.  Era um homem que, à semelhança de Paulo, pregava a Cristo, e este crucificado. Toda a honra e toda a glória são de Cristo, o Senhor. O que deve atrair o povo para os santuários é a mensagem Cristocêntrica tão excelentemente exposta na Palavra. Como precisamos pregar o evangelho a partir da nossa própria vivência em Cristo!

A Igreja necessita de sermões que sejam fruto de vidas no altar, de homens que amam ao Senhor mais do que a si mesmos. Que exalam o bom perfume de Cristo nos que se salvam e nos que se perdem. Mensagens coerentes a partir de pregadores que vivem a coerência de Cristo. Os sermões devem ser bem elaborados, pesquisados e caprichados, mas sempre com a chancela do Espírito Santo.


Não tenhamos medo da corda no pescoço. O Pai tem prazer nos Seus filhos que andam na integridade do ministério profético dado por Ele, em Cristo Jesus, antes da fundação do mundo. Vivamos a coerência de Cristo e não tenhamos receio da corda no pescoço e isto para a Glória de Deus Pai!













Um abraço no seu coração
Fique na Graça e na Paz do Senhor Jesu
Pr. William Thompson

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

- MEU CÁLICE TRANSBORDA



De acordo com a lenda, um menino vivia com seu pai num vale, junto a uma grande represa. Todos os dias o pai ia trabalhar na montanha atrás da sua casa e retornava com um carrinho de mão cheio de terra. “Põe a terra em sacos, filho”, mandava o pai. “E empilhe-os em frente à casa.”

E embora obedecesse, o menino reclamava. Ele estava cheio daquela terra.Quando ele via o que os outros tinham, ficava furioso com eles. “Não é justo”, resmungava a si mesmo.
E quando avistava o pai objetava: “Eles tem diversão.Eu tenho lama.”

O pai sorria, punha o braço nos ombros do garoto e dizia: “Confie em mim, filho. Estou fazendo o que é melhor.”
Porém era muito difícil para o menino confiar. Todos os dias o pai trazia o carregamento. Todos os dias o menino enchia os sacos. ”Empilhe-os o mais alto que puder”, instruía o pai, enquanto saía para buscar mais. E assim o menino enchia os sacos e os empilhava bem alto. Tão alto que não podia ver além deles.
“Trabalhe duro, filho”, disse o pai um dia. “ Estamos ficando sem tempo.”Enquanto falava, o pai olhava para o céu escuro. O menino fitou as nuvens e voltou-se para indagar sobre elas. Mas então o trovão ecoou e o céu se abriu. A chuva precipitou-se tão forte, que ele mal podia ver o pai através da água. “Continue empilhando, filho!” E quando o fazia, o menino ouviu um forte estrondo.
A água do rio inundou a represa e invadiu a pequena aldeia. Num instante, a maré varreu todas as coisas em seu caminho, mas o dique de lama deu ao menino e ao seu pai o tempo que eles precisavam. “Rápido, filho. Siga-me”.

Eles correram para o lado da montanha atrás de sua casa, e entraram num túnel. Em questão de momentos eles saíram do outro lado, correram para o alto da montanha, e fizeram uma nova cabana.
“Estaremos seguros aqui”, garantiu o pai ao menino.
Somente então o filho compreendeu o que o pai fizera, ele havia cavado a saída. Em vez de dar ao filho o que queria o pai lhe deu o que precisava. Deu-lhe uma passagem segura e um lugar a salvo.

Não tem o nosso PAI nos dado o mesmo! Uma forte parede de Graça para proteger-nos! Uma saída segura para livrar-nos! A  quem podemos invejar! Quem tem mais que nós!
Em vez de querer o que os outros têm, não deveríamos nos perguntar se eles possuem o que nós temos! Em vez de invejosos deles que tal sermos zelosos para eles!

Pelo Amor de Deus, segurem os cálices. Há suficiente para todos.
Uma coisa é certa. Quando a ultima tempestade chegar e você estiver seguro na casa do Pai, você não lastimará o que Ele não deu.
Você estará estupefato com o que Deus fez.


Este é um dos exemplos do livro de Max Lucado , baseado no Salmos 23.




“O Senhor é meu pastor, nada me faltará.
Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente as águas tranqüilas.
Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da  justiça, por amor de seu nome.
Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque Tu estas comigo, a tua vara e o teu cajado me consolam.
Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda.
Certamente que a bondade e misericórdia me se seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do SENHOR por longos dias”.Salmos 23 


Um abraço no seu coração!
Fique na Graça e na Paz do Senhor Jesus
Pr. William Thompson

- A CONVENÇÃO DE SATANÁS



Dizem que Satanás — como um executivo moderno, eficiente e preocupado com o desempenho de seus subordinados — resolveu convocar uma convenção mundial de demônios, para rever o seu planejamento estratégico e propor novas formas de abordagem para atingir o seu público alvo: ele queria adotar técnicas mais eficientes para execução de seus objetivos.
Em seu discurso de abertura na assembléia geral, logo depois do credenciamento e da entrega dos crachás aos participantes, ele subiu à plataforma e disse:

— Saudações, capetas!
"Não podemos impedir os cristãos de irem à igreja" "Não podemos impedi-los de lerem as suas Bíblias e conhecerem a verdade". Nem mesmo podemos impedi-los de formarem um relacionamento íntimo com o seu Salvador". "E, uma vez que eles ganham essa conexão com Jesus, o nosso poder sobre eles está quebrado ". "Então, vamos deixá-los ir para as suas igrejas; vamos deixá-los com os almoços e jantares que nelas organizam, MAS, vamos roubar-lhes o tempo que têm, de maneira a que não sobre tempo algum para desenvolver um relacionamento com Jesus Cristo". "O que quero que vocês façam é o seguinte", disse o diabo: "Distraia-os ao ponto de que não consigam aproximar-se do seu Salvador, para manterem essa conexão vital durante o dia todo!”

"Como vamos fazer isto?” gritaram os seus demônios. "Mantenham-nos ocupados nas coisas não essenciais da vida, e inventem inumeráveis assuntos e situações que ocupem as suas mentes," respondeu-lhes ele. "Tente-os a gastarem, gastarem, gastarem, e tomar emprestado, tomar emprestado, tomar emprestado" "Persuadam as suas esposas a irem trabalhar durante longas horas, e os maridos a trabalharem de 6 a 7 dias por semana, durante 10 a 12 horas por dia, a fim de que eles tenham capacidade financeira para manter os seus estilos de vida fúteis e vazios."


 " Criem situações que os impeçam de passar algum tempo com os filhos" "À medida em que suas famílias se foremfragmentando, muito em breve seus lares já não mais oferecerão um lugar de paz para se refugiarem das pressões do trabalho". "Estimulem suas mentes com tanta intensidade, que eles não possam mais escutar aquela voz suave e tranqüila que orienta seus espíritos". "Induzam todos a ligarem o radio sempre que estiverem dirigindo.

 Que a TV, o DVD, os vídeo games, os CDs, os PCs e notebooks estejam sempre ligados, (uns ou outros...) constantemente em seus lares, e providenciem que todas as lojas e todos os restaurantes do mundo toquem constantemente música que não seja bíblica". "Isto entupirá as suas mentes e quebrará aquela união com Cristo". "Encham as mesinhas de centro de todos os lugares com revistas e jornais". "Bombardeiem as suas mentes com noticias, 24 horas por dia". "Invadam os momentos em que estão dirigindo , fazendo-os prestar atenção à cartazes chamativos". "Inundem as caixas de correio deles com papéis totalmente inúteis, catálogos de lojas que oferecem vendas pelo correio, loterias, bolos de apostas, ofertas de produtos gratuitos, serviços, e falsas esperanças".

"Mantenham lindas e delgadas modelos nas revistas e na TV, para que seus maridos acreditem que a beleza externa é o que é importante, e eles se tornarão mal satisfeitos com suas próprias esposas". "Mantenham as esposas demasiadamente cansadas para amarem seus maridos à noite, e dê-lhes dores de cabeça também". "Se elas não dão à seus maridos o amor que eles necessitam, eles então começam a procurá-lo em outro lugar, e isto, sem dúvida, fragmentará as suas famílias rapidamente." "Dê-lhes Papai Noel, para distraí-los da necessidade de ensinarem aos seus filhos, o significado real do Natal."

"Dê-lhes o Coelho da Páscoa, para que eles não falem sobre a ressurreição de Jesus, e o Seu poder sobre o pecado e a morte." "Até mesmo quando estiverem se divertindo, se distraindo, que seja tudo feito com excessos, para que ao voltarem dali estejam exaustos!" "Mantenha-os de tal modo ocupados que nem pensem em ir andar ou ficar na Natureza, para refletirem na criação de Deus. Ao invés, mande-os para Parques de Diversão, acontecimentos esportivos, peças de teatro, concertos e ao cinema. Mantenha-os ocupados, ocupados, ocupados! "

 "E, quando se reunirem para um encontro, ou uma reunião espiritual, envolva-os em mexericos e conversas sem importância, para que, ao saírem, o façam com as consciências pesadas". "Encham as vidas de todos eles com tantas causas nobres e importantes a serem defendidas que não tenham nenhum tempo para buscarem o poder de Jesus". "Muito em breve, eles estarão buscando em suas próprias forças, as soluções para seus problemas, e para as causas que defendem, sacrificando sua saúde e suas famílias pelo bem da causa."
"Isto vai funcionar, vai funcionar!!"

Este era um "senhor" plano!!
Os demônios ansiosamente partiram para cumprirem as determinações do chefe, fazendo com que os cristãos, em todo o mundo, ficassem mais ocupados, e mais apressados, indo daqui para ali, e vice-versa.

Tendo muito pouco tempo para Deus e para suas famílias.
Não tendo nenhum tempo para contar a outros sobre o poder de Jesus para transformar vidas.

Creio que a pergunta é: teve o diabo sucesso nas suas maquinações?
Seja você o juiz !!!!
Ocupado, significa: "Estar sob o jugo (a canga...) de satanás!"
Se você não estiver muito OCUPADO, deixe seu comentário logo abaixo!

Um abraço no seu coração
Fique na Graça e na Paz do Senhor Jesus
Pr William Thompson

terça-feira, 4 de setembro de 2012

- DEUS NOS SURPREENDE COM AMOR E GRAÇA

Por um ato de fé, Raabe, a prostituta de Jericó, deu as boas-vindas aos espias e escapou da destruição que veio sobre aqueles que recusaram confiar em Deus. Hebreus 11:31.

Raabe é um dos grandes troféus da graça de Deus em toda a Bíblia. Duas vezes elogiada no Novo Testamento, ela está entre as cinco mulheres mencionadas na genealogia de Jesus. Era Cananeia, criada em ambiente pagão. Não de linhagem nobre, era uma “dama da noite”. A tradição judaica a coloca entre as quatro mulheres mais bonitas de Israel.

Será que o autor de Hebreus não poderia ter se referido a Raabe de maneira menos rude, ou ter omitido o detalhe, sem mencionar que ela era prostituta?

Mas sua intenção foi outra. Ele quis deixar claro que Deus não vê as pessoas como nós as vemos.

Que mudança a graça pode realizar na vida de alguém!

Deus foi ao encontro de uma jovem que disse: “Eu quero mudar”, e levou em conta sua fé, não sua “profissão”.

Dificilmente imaginaríamos que Deus pudesse incluir uma prostituta em Seus planos ou que colocasse o nome dela na galeria dos grandes heróis da fé. Essa atuação de Deus levou Paulo a afirmar: “Deus escolheu o que para o mundo é loucura para envergonhar os sábios, e escolheu o que para o mundo é fraqueza para envergonhar o que é forte. Ele escolheu o que para o mundo é insignificante, desprezado e o que nada é, [...] a fim de que ninguém se vanglorie diante dEle. É, porém, por iniciativa dEle que vocês estão em Cristo Jesus” (1Co 1:27-30). Deus é soberano. Ele escolhe quem quer. Raabe é uma dessas surpresas. Ela mesma disse aos espias “[...] pois o Senhor, o seu Deus, é Deus em cima nos Céus e embaixo na Terra” (Js 2:11).

O que Raabe, a meretriz de Jericó, fez que agradou tanto a Deus?

Suas atitudes mudaram sua vida completamente.

Josué Capítulo 2

Raabe era uma prostituta que morava com sua família numa casa nas muralhas da cidade de Jericó (significa “cidade da lua”, provavelmente adoravam a lua). Como todas as outras cidades de Canaã, estava destinada a destruição, por causa de sua imoralidade e idolatria.

Ela ouviu:

“porquanto temos ouvido que o Senhor secou as águas do Mar Vermelho diante de vós,” v-10

“Ouvindo isso, desmaiou-nos o coração e ninguém mais tem animo algum...”v-11.

Todos ouviram, mas poucos tomaram decisões acertadas.

Ela entendeu e compreendeu: foi consciente. Calculou os prejuízos de uma vida dissoluta.

“E lhes disse: Bem sei que o Senhor lhes deu essa terra, e que o pavor que infundis caiu sobre nós, e que todos os moradores da terra estão desmaiados”. v-9

Teve consciência. “Bem sei...” Aquela terra fora tomada deles e dada a outro povo que obedecia a Deus. Ela compreendeu isso e não se rebelou contra a vontade de Deus.

Reconheceu a soberania do Senhor, e não se opôs ao plano de Deus em dar aquela terra aos israelitas (“o Senhor lhes deu”)

Teve medo do juízo de Deus que viria sobre ela pela mão dos israelitas (“o pavor... caiu sobre nós”). Somente tem medo àquele que tem convicção da existência de Deus.

Convenceu-se: Ela ouviu e creu, entendeu e confessou.

“... como o Senhor secou o Mar Vermelho” v-l0

“... o Senhor, vosso Deus, é Deus em cima nos céus e embaixo na terra”. V-11b

“Vosso Deus”. Os deuses que conhecia não traziam “felicidade” alguma, agora Raabe ouve algo real e muito maravilhoso: “secou o mar”... ”lhes deu vitoria contra os amorreus”.v-10

Não se lamentou, nem chorou, apenas creu.

Quantos estão insatisfeitos com a vida, mas se sentem indignos do favor de Deus.

Obedeceu. Obedecer é ação na pratica. Obedecer é fazer com as mãos.

Correu risco ficando contra seu povo: “Porém aquela mulher tomou os dois homens, e os escondeu” v-4

“Porém ela os tinha feito subir ao eirado, e os tinha escondido entre as canas do linho”, v-6

Fez aliança. “jurai-me, vos peço, pelo Senhor que assim como usei de misericórdia para convosco, também dela usareis para com a casa de meu pai; e me dareis um sinal certo.”v-12

Socorreu: “Ela, então o fez descer por uma corda pela janela”. v- 15

Orientou qual o caminho era seguro, v-16

Teve obras e teve fé (Tg. 2:25; Heb. 11:31). Atitude fala mais que palavras.

Recebeu orientação de como seria salva e obedeceu.

Eis que, quando nós entrarmos na terra, atarás este cordão de fio de escarlata à janela por onde nos fizeste descer; e recolherás em casa contigo a teu pai, e a tua mãe, e a teus irmãos e a toda a família de teu pai.

Amarrou o cordão e permaneceu dentro de casa esperando.

Na semelhança de Raabe muitos pecadores estão vivendo nesta “Jericó” (mundo “da lua”) que está destinada a destruição.
Esta é a historia de como uma mulher moralmente depravada, que jamais pensávamos que pudesse ser capaz de alcançar tão grande vitória pela fé.

Haverá um julgamento de Deus e quem poderá se livrar dele? (Mt. 25:31-34,41)

Use os ouvidos. “Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas” (Ap. 2:7, 11, 17,26, 3:6, 13,22) – sete vezes só em Apocalipse.

“Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo” (Ap.1:3).

Raabe sabia que Jericó “chegaria ao fim”. Que os muros da cidade não iriam protegê-la. Nem tão pouco seus deuses. (Is.2:21; Ap. 20:11-13)

Use o entendimento.

“Ouvindo alguém a palavra do reino, e não a entendendo, vem o maligno, e arrebata o que foi semeado no seu coração; este é o que foi semeado ao pé do caminho” (Mat. 13:19).

Calcule o prejuízo de uma vida sem a garantia da salvação.

Não basta ouvir e temer é preciso entender

Seja convicto. Crer. Confessar (reconhecer).

O estado atual ou do passado, não impede que uma pessoa, por mais indigna que seja, tome consciência e mude sua vida (Lc. 15:17-20. Is. 1:18)

Raabe confessou a grandeza de Deus, reconhecendo-o como Senhor Soberano (Josué 2:8-10).

Reconheça Cristo como Senhor e Salvador de sua vida.

Não basta entender é preciso crer

Tome uma atitude: agir implica obedecer.

“Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha”; (Mt. 7:24)

“A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou (a Jesus) dentre os mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação. (Rom 10:9, 10)

Veja onde a fé acompanhada de obra levou Raabe:

Raabe casou-se com o israelita, Salmom (foi tataravó do Rei Davi) e teve um filho chamado Boas que foi bisavô do rei Davi. (Mat.1:5). Ela tornou-se ancestral da família de Cristo (Mat.1:5-16: Lc. 2:32).

Está ao lado de Abrão e outros como pessoas na Galeria dos Heróis que tiveram fé e obras: Tg 2:23, 25 Heb. 11:31

Aplicação:

O fato da vida de Raabe ser poupada, sendo ela uma prostituta e havendo mentido aos emissários do rei de Jericó, não significa que Deus estivesse sancionando tais pecados explicitamente condenados no Decálogo (ver Êx 20:14 e 16). Nesse incidente, Deus manifestou Sua graça salvadora a uma prostituta possuída de uma fé genuína, com o propósito de salvá-la de sua vida de pecado. O mesmo poder regenerador que atuaria na vida da “mulher adúltera”, durante o ministério terrestre de Cristo (Jo 8:1-11), também transformou a vida da prostituta Raabe. E o mesmo amor compassivo que perdoaria as mentiras do pretensioso apóstolo Pedro (Mc 14:27-31;66-72) também perdoou a mentira de Raabe.

A galeria dos heróis da fé (ver Hb 11), da qual Raabe faz parte (verso 31), não é composta por santos que nunca pecaram, mas por pecadores que pela graça divina alcançaram a vitória sobre os seus pecados. Essa galeria é formada por pessoas que, à semelhança do filho pródigo (Lc 15:11-32), deixaram as imundícies de uma vida de pecado e voltaram à casa paterna; pessoas que estavam mortas em “delitos e pecados” mas que foram regeneradas pela graça divina (Ef 2:1 e 5).

Raabe mudou sua vida completamente quando creu no Senhor. Então o Senhor levou os espiões até sua casa para lhe dar oportunidade de mudança. Você não precisa perecer juntamente com os demais que estão destinados a destruição. Hoje mesmo você pode fazer parte do povo que entrará na Nova Jerusalém. Creia que o Sangue de Cristo te purifica de todo o pecado e receba Cristo com seu Senhor e Salvador.



Um Beijo no seu coração
Fique na Graça e na Paz do Senhor Jesus
Pr. William Thompson