quarta-feira, 12 de setembro de 2012

- MEU CÁLICE TRANSBORDA



De acordo com a lenda, um menino vivia com seu pai num vale, junto a uma grande represa. Todos os dias o pai ia trabalhar na montanha atrás da sua casa e retornava com um carrinho de mão cheio de terra. “Põe a terra em sacos, filho”, mandava o pai. “E empilhe-os em frente à casa.”

E embora obedecesse, o menino reclamava. Ele estava cheio daquela terra.Quando ele via o que os outros tinham, ficava furioso com eles. “Não é justo”, resmungava a si mesmo.
E quando avistava o pai objetava: “Eles tem diversão.Eu tenho lama.”

O pai sorria, punha o braço nos ombros do garoto e dizia: “Confie em mim, filho. Estou fazendo o que é melhor.”
Porém era muito difícil para o menino confiar. Todos os dias o pai trazia o carregamento. Todos os dias o menino enchia os sacos. ”Empilhe-os o mais alto que puder”, instruía o pai, enquanto saía para buscar mais. E assim o menino enchia os sacos e os empilhava bem alto. Tão alto que não podia ver além deles.
“Trabalhe duro, filho”, disse o pai um dia. “ Estamos ficando sem tempo.”Enquanto falava, o pai olhava para o céu escuro. O menino fitou as nuvens e voltou-se para indagar sobre elas. Mas então o trovão ecoou e o céu se abriu. A chuva precipitou-se tão forte, que ele mal podia ver o pai através da água. “Continue empilhando, filho!” E quando o fazia, o menino ouviu um forte estrondo.
A água do rio inundou a represa e invadiu a pequena aldeia. Num instante, a maré varreu todas as coisas em seu caminho, mas o dique de lama deu ao menino e ao seu pai o tempo que eles precisavam. “Rápido, filho. Siga-me”.

Eles correram para o lado da montanha atrás de sua casa, e entraram num túnel. Em questão de momentos eles saíram do outro lado, correram para o alto da montanha, e fizeram uma nova cabana.
“Estaremos seguros aqui”, garantiu o pai ao menino.
Somente então o filho compreendeu o que o pai fizera, ele havia cavado a saída. Em vez de dar ao filho o que queria o pai lhe deu o que precisava. Deu-lhe uma passagem segura e um lugar a salvo.

Não tem o nosso PAI nos dado o mesmo! Uma forte parede de Graça para proteger-nos! Uma saída segura para livrar-nos! A  quem podemos invejar! Quem tem mais que nós!
Em vez de querer o que os outros têm, não deveríamos nos perguntar se eles possuem o que nós temos! Em vez de invejosos deles que tal sermos zelosos para eles!

Pelo Amor de Deus, segurem os cálices. Há suficiente para todos.
Uma coisa é certa. Quando a ultima tempestade chegar e você estiver seguro na casa do Pai, você não lastimará o que Ele não deu.
Você estará estupefato com o que Deus fez.


Este é um dos exemplos do livro de Max Lucado , baseado no Salmos 23.




“O Senhor é meu pastor, nada me faltará.
Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente as águas tranqüilas.
Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da  justiça, por amor de seu nome.
Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque Tu estas comigo, a tua vara e o teu cajado me consolam.
Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda.
Certamente que a bondade e misericórdia me se seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do SENHOR por longos dias”.Salmos 23 


Um abraço no seu coração!
Fique na Graça e na Paz do Senhor Jesus
Pr. William Thompson

2 comentários:

Anônimo disse...

Pastor, por quê o senhor não coloca o clipe da música "DEUS CUIDA DE MIM", do Kleber Lucas?
Tem tudo a ver com o texto MARAVILHOSO!

William THOMPSON MATHEUS disse...

Vou procurar no You Tube, caso eu ache, vou incluir abaixo do texto!

- VOCÊ ESTÁ CHEIO DE QUE?

Efésios: 5: 17   Portanto, não sejais faltos de juízo, mas buscai compreender qual é à vontade do Senhor. E não vos embriagueis com vinh...