sábado, 29 de outubro de 2016

- ADORAÇÃO, OU MANTRA?



Costumo expor aos integrantes do Ministério de Adoração que o momento de culto é como se fosse um casamento: a Igreja é a noiva, Cristo é o noivo e o Ministério de Louvor faz o papel do pai da noiva, entregando-a nos braços do noivo em total e perfeita adoração.

Existem algumas coisas que ocorrem que podem aguçar a adoração, aproximando cada vez mais a igreja do coração de Deus, assim como podem dispersar a atenção e, por conseguinte, deixamos de ter adoração.

Acabamos por ficar naquilo que Jesus fala em Mateus 6:7 sobre vãs repetições, coisas que se assemelham a mantras e que não contribuem em nada na adoração e edificação da igreja.

Vamos compartilhar algumas ideias sobre por que repetir ou não as coisas quando estamos cantando ou ministrando no momento de louvor nos cultos.

Mas existe muita repetição, e isso pode ser uma crítica válida para os líderes de louvor que repetem as coisas demais.

Então, como líderes de louvor sabem quando devem repetir ou não repetir? Vou tentar apresentar algo muito prático aqui:

1. Suponha que uma vez é suficiente
Sua linha de base para uma canção deve ser de cantá-la uma vez. Simples.

2. Repita algo que é desconhecido
Uma maneira de pensar sobre a condução com discernimento é desta forma: líderes de louvor eficazes têm quatro antenas todo o tempo que estiver na frente. Uma para a liderança do Espírito Santo, uma para os músicos que estão liderando ao lado, uma para a congregação, e uma para o pastor.

Se a sua antena da congregação diz que eles não chegaram a obter esse primeiro verso ou aquele coro (ou seja, ainda é novo ou as letras não foram projetadas a tempo), então provavelmente é uma boa ideia cantá-la novamente.

3. Repita algo que o Espírito Santo quer levemos para casa
Usando sua antena do Espírito Santo, enquanto você está cantando através da música, seja sensível ao seu estímulo e liderança. Para mim, isso vem na forma de uma sensação de que o Espírito Santo quer nos conduzir a determinado ponto que nós não compreendemos totalmente da primeira vez.

Isso é um pouco de repetição que faz uma grande diferença. Mas por outro lado…

4. Esteja ciente de que muita repetição trabalha contra você
Um vez: linha de base.
Duas vezes: Pode ser útil dependendo do grupo.
Três vezes: Você está empurrando.
Quatro vezes: Você já cruzou a linha.
Cinco vezes: Você está no seu próprio mundo.
Seis vezes: Você nunca mais vai ser convidado a liderar a adoração nesta igreja novamente.

Uma vez que você começar a repetir as coisas, esteja ciente de que você tem que avaliar se a sua repetição estará adicionando ou subtraindo do efeito que você está esperando conseguir. Repetição eficaz é um sublinhado. Repetição ineficaz está fora de contexto.

5. Esteja ciente do nível de conforto dos músicos e de sua congregação
Se a sua congregação não é acostumada a repetir alguma coisa, use a repetição com moderação. Mesmo para seus músicos. Gradualmente acostume-os à ideia com a prática, e repetindo apenas o que é realmente importante, para mostrar-lhes como ele pode ser útil.

6. Eles ainda estão com fome?
Há momentos em que uma criança de dois anos e meio de idade não vai comer nada. Às vezes é porque, enquanto ela está com fome, ela não percebe o quão boa é a comida em seu prato. Mas às vezes é porque ela não está realmente com fome.

Quando você está conduzindo uma canção, tente estar ciente de que eles ainda estão com fome ou não. Às vezes, repetindo algo você pode ajudá-los a perceber que eles estão em falta e, em seguida, eles vão devorá-lo. Outras vezes, repetindo algo, você está tentando erguer as bocas abertas e forçá-lo para baixo.

7. Repita verdade objetiva sobre respostas subjetivas
Pense consigo mesmo quando você está liderando louvor: há qualquer coisa que já cantamos que seríamos beneficiados lembrando-nos sobre ela outra vez? Ao repetir a verdade sobre quem é Deus e o que ele fez por nós em Jesus Cristo nós permitimos que “… a palavra de Cristo habite em nós ricamente …” (Colossenses 3.16).

E isso, é realmente o ponto de repetição – deixar que a palavra de Cristo habite ricamente em nossos corações. Não é para conduzir as pessoas em um frenesi ou um estado sem sentido, mas para ajudá-las a agarrar a glória de Deus, ajudando-as cantar com entendimento.

Sabiamente – e com discernimento – use a repetição como uma ferramenta, líderes de louvor podem pastoralmente apontar suas congregações para aquele que é digno de louvor sem fim. Aponte Jesus como um sublinhador, um marcador, e um refletor.

Um abraço no seu coração
Fique na Graça e na Paz do Senhor Jesus
Pr William Thompson




ADAPTADO do texto original de Jamie Brown. Copyright © 2016 Worthily Magnify. Original: Let Me Repeat Myself? – Part Two



Nenhum comentário: