segunda-feira, 30 de março de 2015

- ANARQUISTAS NA IGREJA!

"Anarquia é uma palavra grega que significa literalmente "sem governo", isto é, o estado de um povo sem uma autoridade constituída."

Submissão é coisa rara nos dias atuais. As pessoas estão cada vez mais donas de seus narizes e não querem se submeter à autoridade de quem quer que seja. Mas quando elas estão em função de liderança – aí sim – todos devem obedecer aos seus comandos. Suas ideias são as melhores e tudo que fazem é belo e irretocável.

Na igreja não é diferente. Aumenta a cada dia o número de crentes que não se sujeitam aos líderes e pensam que estão certos (verdadeiros anarquistas). Não respeitam pastores, verberam contra a liderança e afirmam que só devem obediência a Deus. “Igreja não é quartel”, argumentam. E, generalizando, chamam qualquer liderança firme, segura, de militarista. Alguém chegou a me dizer o seguinte: 



“...a expressão "PASTOR" (Usada para se referir a um ministro do Espírito Santo) é só uma maneira carinhosa de chamar o ministro...” “... Jesus Cristo é o Único bom Pastor!
O resto são homens imperfeitos como toda ovelha...”

Entretanto, vemos na Bíblia que o próprio Deus prioriza e hierarquiza. Ele — que podia ter formado todas as coisas com uma única palavra — fez questão de formar tudo a seu tempo, dia a dia (Gn 1). O Senhor também pôs em ordem as tribos de Israel (Nm 2), pois o nosso Deus é um Deus de ordem (1 Co 14.40).

De acordo com 1 Coríntios 12.28, há uma hierarquização dos dons e ministérios — estabelecida por Deus, é evidente. Ela existe, não para que um portador de certo dom e ministério se considere superior aos outros, e sim para que haja ordem na casa do Senhor.

Deus pôs na igreja “primeiramente apóstolos” (1 Co 12.28; Ef 4.11). Apóstolo quer dizer: o que é enviado, o que vai a frente, que prepara alicerces. Os que andaram com Jesus, que aprenderam com Ele, que pregaram a Palavra de maneira incessante, fundaram e orientaram igrejas e pagaram com a própria vida para que nós, nos dias atuais sejamos discípulos desse mesmo Jesus!

O texto de 1 Coríntios 12.28 afirma, ainda, que Deus pôs na igreja “em segundo lugar, profetas, mencionados — na mesma posição, depois dos apóstolos — em Efésios 4.11. Não confunda esses profetas com os crentes que falam em profecia nos cultos, também chamados de profetas em 1 Coríntios 14.29. O ministério profético neotestamentário é formado por pregadores (pregadores, mesmo!) da Palavra de Deus, portadores de mensagens proféticas.

Em seguida, a Palavra do Senhor, em 1 Coríntios 12.28, assevera: em terceiro, doutores. Veja como essa hierarquização ocorria na igreja de Antioquia da Síria: “havia alguns profetas e doutores, a saber: Barnabé, e Simeão, chamado Níger, e Lúcio, cireneu, e Manaém, que fora criado com Herodes, o tetrarca, e Saulo” (At 13.1). Nesse caso, os doutores, que atuam juntamente com os profetas, são ensinadores da Palavra de Deus.

Há casos, como o de Paulo, em que três ou dois dos ministérios mencionados (apóstolo, profeta e doutor) se intercambiam (1 Tm 2.7). Os ministérios de pastor e evangelista certamente fazem parte dos três escalões mencionados em 1 Coríntios 12.28, posto que são títulos relacionados com a liderança maior da igreja.

Finalmente, em 1 Coríntios 12.28, está escrito: “depois, milagres, depois, dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas”. Milagres só vêm depois de apóstolos, profetas e doutores? Isso mesmo. Na hierarquização feita por Deus, o ministério da Palavra é mais prioritário que os milagres, haja vista serem estes o efeito da pregação do Evangelho (Mc 16.17). Observe que João Batista foi considerado por Jesus o maior profeta dentre os nascidos de mulher, mesmo sem ter realizado sinal algum (Jo 10.41).

Se não houver hierarquia nas igrejas, para que servirão os cargos e funções? Qualquer pessoa, dizendo-se usada por Deus, poderá mandar no pastor. Aliás, isso estava acontecendo na igreja de Tiatira, e o próprio Senhor Jesus repreendeu o obreiro frouxo que não estava exercendo a liderança que recebera do Senhor (Ap 2.20).

Deus é Deus de ordem!

O princípio divino da hierarquização aparece em várias outras passagens neotestamentárias. Em 1 Coríntios 14.26, vemos que, no culto coletivo a Deus, deve haver ordem. Quanto à ressurreição, está escrito: “Mas cada um por sua ordem: Cristo, as primícias; depois, os que são de Cristo, na sua vinda” (1 Co 15.23). E, no Arrebatamento, tal princípio também será aplicado: “os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens” (1 Ts 4.17).

Observe que no cap. 2 do Apocalipse, nas cartas às sete igrejas da Ásia Menor, o Senhor fala ao “ANJO DA IGREJA”, (o pastor). Ele não fala ao diácono, ao ministro de louvor, ao líder desse ou daquele departamento; Ele fala com o responsável, àquele que foi incumbido de prestar contas junto a Ele sobre os erros e acertos da igreja.

Muitos pregadores têm dito: “Deus nos quer por inteiro: corpo, alma e espírito”. Mas a Bíblia afirma em 1 Tessalonicenses 5.23: “e todo o vosso espírito, e alma, e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”. Essa ordem mostra que a obra santificadora do Espírito Santo ocorre de dentro para fora, e não de fora para dentro.

Precisamos ser zelosos para não permitir que atitudes contrárias à Palavra de Deus venham permear as entranhas da Igreja. Assim como na política a Igreja está sendo invadida pela anarquia: todos pensam e agem de acordo com o sabem e querem sem se reportar a uma autoridade, visto que todo anarquista é seu próprio líder.

Vigiai e orai!


Um abraço no seu coração
Fique na Graça e Paz do Senhor Jesus
Pr William Thompson


Nenhum comentário:

- VOCÊ ESTÁ CHEIO DE QUE?

Efésios: 5: 17   Portanto, não sejais faltos de juízo, mas buscai compreender qual é à vontade do Senhor. E não vos embriagueis com vinh...