segunda-feira, 18 de março de 2013

- SER, SÓ PARA TER: EIS A PREGAÇÃO!




Há alguns dias atrás estava dando uma conferida no facebook e achei na minha linha do tempo uma mensagem que dizia: “vamos parar de falar mal da igreja...” Neste blog eu tenho escrito coisas que vão de encontro àquilo que algumas pessoas têm feito na e com a igreja. Não falo contra a IGREJA, mas sim contra os vendilhões que abundam as entranhas da Noiva de Cristo, que maculam o nome de Jesus, que no intuito de auto promoção ou até mesmo usurpar o dinheiro dos fieis, conduzem ovelhas inocentes e incautas para um abismo espiritual e muitas delas depois de despertar se sentem enganadas, se desviam e jamais retornam aos caminhos do Senhor e, o que é pior, acabam culpando a Deus por aquilo que alguns homens inescrupulosos fizeram. É contra esses “homens” que eu escrevo, que eu falo e que eu prego!

A pregação triunfalista e de prosperidade se alastrou de forma avassaladora e vem deturpando cada vez mais o verdadeiro evangelho da graça de Cristo. Ela tomou conta de uma grande parte dos púlpitos contemporâneos e trouxe de volta consigo uma verdadeira praga para o cristianismo, a saber, o antropocentrismo. O homem, agora, tornou-se o centro do evangelho que é pregado nas igrejas hoje e Deus é visto apenas como um mero despenseiro da vontade vil e egoísta do homem. E com isso surgem vários tipos de bizarrices, tais como: em algumas orações o homem coloca Deus contra a parede e o obriga a realizar a sua vontade, ou seja, o homem se torna soberano e Deus um mero servo de sua perversa vontade; a vontade do homem é sim perversa.

O que mais me espanta é que “os cristãos” acham isso normal e encaram como se fosse algo bíblico, uma vez que alguns grupos que se dizem cristãos cantam músicas que apoiam essa deturpação clara do evangelho e dessa forma essa doença se alastra e toma conta da igreja atual gerando uma séria crise na vida da igreja. Uma crise entre o SER e o TER.

A pregação triunfalista ensina que o homem tem direito a TER tudo o que ele deseja: carro, casas (na cidade na montanha e na praia), uma polpuda conta bancária, pois a Bíblia assim ensina.

Hoje, o cristão só é abençoado se tiver uma vida na qual desfrute de uma situação financeira que lhe conceda um bom status social e que possa ser invejado pelos demais (ostentação é pecado). Não sou contra a prosperidade na vida desde que ela venha do fruto do trabalho do homem e que Deus seja glorificado por meio dela, mas fazer dela o parâmetro de uma vida abençoada isso é antibíblico, isto é servir a Mamom e não a Deus.

O cristão é levado e ensinado a TER e quanto mais ele tem mais se convence de que não tem o bastante e assim ele prossegue numa busca insaciável por TER e por essa causa ele se aproxima de Deus exigindo que suas orações egoístas sejam respondidas imediatamente, pois se não responder Deus não é Deus e é um mentiroso, pois disse em sua palavra que bastava pedir em seu Nome que a oração seria respondida.

Todavia, quando examino as Sagradas Escrituras me deparo com seguinte texto: “Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus” (I Co 10.31), que me ensina que tudo o que faço, como cristão, deve ser para glória de Deus e isso inclui também as minhas orações. Ao ler e estudar um texto como esse não posso crer que o parâmetro de uma vida abençoada seja o TER, mas sim o glorificar a Deus. “Os cristãos” estão se acostumando a celebrar e glorificar a bênção e estão se esquecendo, ou melhor, estão ignorando que “toda boa dádiva” procede do Pai das luzes e Ele sim deve ser celebrado, adorado e glorificado ao invés da bênção.


As Escrituras Sagradas nos ensinam que devemos SER cristãos que tomam sua cruz e que negam a si mesmos; SER aqueles que colocam a mão no arado e não olham para trás; SER santo como Santo é nosso Deus; SER transformado pela renovação da nossa mente. Não encontro nenhuma passagem que me ensine que eu deva TER todas as minhas orações respondidas ou que me digam que Deus é obrigado a atender todas as minhas orações mesmo que sejam egoístas e vis.

Ao olhar para a história da cristandade, encontro os puritanos ingleses que procuravam viver suas vidas em plena harmonia com a Bíblia (não estou defendendo que eles eram perfeitos, uma vez que todos pecaram) e a única coisa que eles almejavam TER era “a mesma atitude que Jesus Cristo tinha” (Fp 2.5), algo que está muito longe de nós hoje. Os grandes reformadores também tinham essa visão de que o SER era mais importante e agradava mais a Deus do que o TER, porém, os cristãos de hoje estão querendo mais agradar a si mesmos do que a Deus, e enquanto tiverem bitolados e entupidos pela má teologia propagada dos púlpitos e endossadas pelas canções de grupos que ensinam que TER é melhor que SER será difícil que venham a viver um evangelho autêntico e bíblico.

Numa época em que a bênção é mais valorizada e celebrada do que o Deus que a concede, é um sinal para que fiquemos alertas e sejamos ainda mais vigilantes e sóbrios. 

Sola Scriptura, Sola Gratia, Sola Fide, Solus Christus e Soli Deo Gloria.




Que Deus tenha misericórdia de nós e nos ajude no resgate da pregação do evangelho puro e cristalino, com sua essência inegociável, que transforma vidas e não contas bancárias.

ISSO NÃO É FALAR MAL DA IGREJA.

“O cão late quando seu dono é atacado. Eu seria um covarde se visse a verdade divina ser atacada e continuasse em silêncio, sem dizer nada.” João Calvino

“Uma vez que Satanás não pode destruir o Evangelho, ele muitas vezes tem neutralizado a sua utilidade por adição, subtração ou substituição.” J. C. Ryle

“A palavra ‘evangélicos’ tem se tornado tão inclusiva que corre o perigo de se tornar totalmente vazia de significado.” R. C. Sproul

“Hoje, a luz da Reforma já foi sensivelmente obscurecida. A consequência foi a palavra ‘evangélico’ se tornar tão abrangente a ponto de perder o sentido.” DECLARAÇÃO DE CAMBRIDGE

Tenho dito!


Um abraço no seu coração
Fique na Graça e na Paz do Senhor Jesus
Pr. William Thompson

Nenhum comentário: