quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

- O INFERNO É REAL E NECESSÁRIO



Se não houvesse um inferno, não haveria justiça!
Ouvi uma história sobre um homem que vivia em Kiev, cuja mãe era a única das doze crianças na sua família a sobreviver à fome forçada de Stalin na Ucrânia. “Penso nas pessoas que caminharam pelos campos de matança, contando-nos das atrocidades cometidas contra as suas famílias.”

Sem inferno, a justiça nunca alcançaria os tiranos não arrependidos responsáveis pelos assassinatos de milhões. Perpetradores do mal ao longo dos tempos escapariam, apesar de estupros, assassinatos, torturas, e todo o tipo de mal.

Mesmo que possamos reconhecer o inferno como um castigo necessário e justo para os malfeitores, no entanto, raramente vemos a nós mesmos como dignos do inferno. Afinal, não somos Hitler, Stalin, Lenin, Mengeli, ou até mesmo Pablo Escobar.

Deus responde: "Não há um justo, nem um sequer, não há ninguém que entenda, ninguém que busque a Deus. Todos se extraviaram, à uma se fizeram inúteis; não há quem faça o bem, nem sequer um" (Romanos 3:10-12).

Negligenciando a grande salvação:
Portanto convém-nos atentar com mais diligência para as coisas que já temos ouvido, para que em tempo algum nos desviemos delas. Porque, se a palavra falada pelos anjos permaneceu firme, e toda a transgressão e desobediência recebeu a justa retribuição, como esperamos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram, testificando também Deus com eles, por sinais, e milagres, e várias maravilhas e dons do Espírito Santo, distribuídos por sua vontade" (Hebreus 2:1-4).
Nosso texto é uma exortação para se dar ouvidos e atenção à mensagem do Evangelho. O Evangelho são as boas novas sobre a grande salvação que foi preparada para os pecadores, e se a deixarmos de ouvir e não dermos atenção a esta mensagem não haverá jeito de escapar às consequências terríveis do pecado. O primeiro versículo do nosso texto é traduzido de várias maneiras. Uma das versões apresenta a última sentença assim: "Para que delas jamais nos desviemos". Mas, seja qual for a tradução e interpretação o pensamento é o mesmo: um aviso contra não se ouvir nem se dar atenção ao plano da salvação, como está escrito na Palavra de Deus.

A salvação do lado humano é através do arrependimento e fé; e isto implica ouvir e dar atenção ao Evangelho. Enquanto os homens ouvirem o Evangelho por um ouvido e o deixarem sair pelo outro nunca poderão ser salvos.
Gosto da tradução que diz: "Para que delas jamais nos desviemos". A maioria das pessoas estão flutuando para o inferno. Flutuar é um processo inconsciente. Pode-se estar num barco, soltar os remos e pensar que está parado, mas quando olhamos, podemos ver que não estamos onde estávamos antes, que nos movemos com o corrente. Alguns homens parecem estar num barco indo a todo vapor para a destruição, mas a maioria fica só flutuando. O assassino, o bêbado, o jogador e o ateu estão correndo na direção da ruína eterna, mas a maioria dos homens está flutuando inconscientemente nesta direção.

Certa vez, um homem estava num barco, no rio Niágara, a uma distância até boa das cataratas. Ficou cansado e por isso colocou os remos no fundo do barco e deixou-se ficar flutuando. Sentou-se de braços cruzados e começou a cochilar. Outro homem, na margem, viu o perigo e gritou. Mas o homem que estava no barco nem se mexeu, estava indo ao sabor da corrente sem saber não tinha o sentido real do perigo. O homem na margem saiu correndo e gritando, mas o outro nem ligou. Ficou lá sentado até que o Niágara o jogou nas cataratas para uma morte certa e instantânea. A negligência custou-lhe a vida. E não perdeu a vida por ter feito alguma coisa, foi só pela negligência, flutuou para a morte!

O inferno e o castigo eterno é o preço para a negligência. Os homens não precisam matar, nem roubar, nem beber, nem jogar para serem perdidos. Estes crimes podem aumentar as misérias do inferno, mas quem não faz nada disto ainda é pecador e precisa da salvação.

Por que a salvação é negligenciada?
Se a salvação é libertação do pecado; se significa escapar do fogo eterno; se significa receber o favor de Deus; se significa a felicidade e glória eterna, por que os homens a negligenciam? Se a salvação é tão cara que nada, a não ser o sangue do Filho Eterno de Deus, poderá ser suficiente como pagamento; por que é negligenciada por tanta gente? Se a salvação é adquirida sem dinheiro e sem preço; se é pela graça por meio da fé e não pelas obras; se é o dom de Deus; por que, pergunto outra vez, é negligenciada assim? Há respostas na Bíblia para todas estas perguntas, e a única resposta para qualquer uma delas só pode ser encontrada nas Escrituras. A salvação é negligenciada porque os homens não têm interesse neles mesmos? É porque o pecador não ama a si mesmo? Não! Não pode ser isto, pois o pecador ama a si mesmo, tanto quanto o salvo.

A resposta correta à pergunta: "Por que a salvação é negligenciada"? É encontrada na condição da mente e do coração do homem natural. A Bíblia diz que a mente carnal é inimizade contra Deus; que o coração é mais enganoso do que todas as coisas e desesperadamente mau. De acordo com a Bíblia o pecado destruiu o raciocínio e a afeição do homem natural. A Palavra de Deus diz que o homem natural não recebe as coisas do Espírito de Deus, pois são loucura para ele, nem pode conhecê-las porque são discernidas espiritualmente. Paulo disse que se o Evangelho que pregava fosse escondido, estaria escondido para os perdidos, cujas mentes foram cerradas pelo deus deste mundo. O pecado distorceu e deformou tanto a natureza humana, que os desejos do homem são o contrário das necessidades dele. As coisas de grande valor são ignoradas e negligenciadas, ao passo que as de valor mínimo, sim, coisas prejudiciais, são procuradas com uma paixão consumidora. Veja o contraste entre a rapidez e o entusiasmo com a indiferença total deles, em relação às coisas de valor eterno. Veja o contraste entre o desejo do bêbado pela bebida e seu descaso pela salvação. Que condição lamentável a da natureza humana; que os homens necessitam ser exortados a não negligenciarem a salvação.

Além disso o homem pode se interessar pela salvação, mas ser cego ou ignorante sobre o caminho da salvação. Talvez seja até um professor de universidade, mas ainda ignorante de como se tornar justo diante de Deus. Paulo escreveu sobre seus irmãos na carne, disse a respeito deles: "Porque lhes dou testemunho de que tem zelo de Deus, mas não com entendimento. Porquanto, não conhecendo a justiça de Deus, e procurando estabelecer a sua própria justiça, não se sujeitaram a justiça que vem de Deus", Romanos 10:2-3. Paulo estava dizendo que eles tinham interesse em ser justos diante de Deus, mas não sabiam o caminho certo para fazer isto. Não sabiam que Deus tinha providenciado justiça para os injustos. Pensavam que tinham de estabelecer ou preparar uma justiça própria. Era isto que tentavam fazer: tornarem-se justos pela própria obediência. Não sabiam que pela obediência de um, Jesus Cristo, muitos seriam justificados. Não sabiam que o fim da lei é Cristo para justiça de todo que aquele que crê", Romanos 10:4. Não podiam ver que Cristo é nossa justiça, e que nossa própria justiça é "como trapo da imundícia".

Um dos quadros mais tristes da Bíblia é mostrado por Isaías. É sobre o idólatra. Isaías descreve como o deus dos idólatras é feito. Um homem planta uma árvore e a chuva a faz crescer. Ele então corta a árvore e com uma parte da madeira faz um fogo para Se aquecer; com outra parte faz outro fogo para cozinhar o alimento e com o resto da árvore faz seu deus, ajoelha-se diante dele e o adora. Então o profeta explica este procedimento estranho dizendo: "o seu coração enganado o desviou; de maneira que não pode livrar a sua alma, nem dizer: Não há mentira na minha mão direita"? Isaías 44:20. Aquele pedaço de madeira que o idólatra segura em sua mão direita é um deus falso; uma mentira, mas o idólatra não sabe disto. Que coisas estranhas os homens do mundo buscam e das quais dependem, a fim de serem aceitos por Deus.

Que a luz dada pelo Espírito possa mostrar a homens e mulheres que Deus não faz acepção de pessoas; que Ele não aceita a pessoa do homem; que homem nenhum é aceito por Deus por causa do que é nem do que faz; que os pecadores são aceitos no Amado e que Deus salva o pecador por amor a Jesus. O único nome no qual os homens podem ser salvos é o nome de pecador; e o único nome pelo qual podem ser salvos é o nome do Senhor Jesus Cristo.



Não podemos ser aceitos por Deus por sermos brancos, pretos, amarelos, ricos, pobres ou ignorantes; cada pessoa tem que ir a Deus como pecador.



Um abraço no seu coração
Fique na Graça e na Paz do Senhor Jesus
Pr William Thompson

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

- POR QUE A GALINHA ATRAVESSOU A ESTRADA? PREGADORES, TEÓLOGOS, APÓSTOLOS E HEREGES EXPLICAM.




Martinho Lutero: A galinha estava deixando Roma.
John Wesley: O coração do galinha foi estranhamente aquecido.
John Piper: Deus decretou o evento para maximizar a sua glória.
C.S. Lewis: Se uma galinha descobre em si mesmo desejos os quais nada neste lado possam satisfazer, a explicação mais provável é que ela foi criada para o outro lado.
Paul Washer: a galinha atravessou a estrada porque se continuasse onde estava, a ira de Deus iria torrar suas penas.
Mark Driscoll: A culpa é do marido, sempre é do marido, ela estava seguindo o exemplo do galo.
Billy Graham: A galinha se entregou toda.
Tomé: Eu não acredito que a galinha atravessou a menos que eu veja com meus próprios olhos.
Pedro: Que galinha? Que estrada? Nunca conheci uma galinha! (o galo canta).
Ezequiel: Deus ressuscitou os ossos de galinha e depois ela atravessou a estrada.
David Quinlan: O frango atravessou a rua pq ele “está apaixonado, está apaixonado, está apaixonado, está apaixonado, está apaixonado, está apaixonado, por ti Jesus”. E atravessou a rua “correndo, correndo, correndo, correndo, correndo, correndo, correndo, correndo, correndo, correndo, correndo, correndo, correndo, correndo, correndo, correndo pra ti”
Marco Feliciano: A galinha não conseguiu atravessar pois era um ancestral amaldiçoado por Noé!
Valnice Milhomens: Os últimos atos proféticos influenciaram a galinha num novo mover. Logo, a galinha não tinha outra escolha senão atravessar.
R. R. Soares: corre na estrada, atravessa a estrada, mostre que “Aqui” você foi curada!
G-12: A galinha fez regressão uterina (ovo), quebrou as maldições, e atravessou porque atravessar é TREMENDO.
Valdemiro Santiago: Ela fugiu para o outro lado porque não aguentava mais ser perseguida, estava chorando antes de atravessar.
Edir Macedo: Ela não quis atravessar! antes queria participar de uma sessão de descarrego pois estava endemoninhada!
Freestyle: A galinha fez uma travessia mó da hora para o outro lado. Maneiro.
Sarah Sheeva: A ‘galinha’ atravessou a rua porque eh galinha mesmo. Se fosse PRINCESA ela teria escolhido esperar pelo seu príncipe do primeiro lado da rua!
Ana Paula Valadão: Ela atravessou para se entregar nas asas do Pai!
Caio Fábio: A galinha atravessou porque encontrou o Caminho da Graça e rompeu com a instituição.



***Araony Cardoso disse que faltou o Thalles Roberto. Segundo ele, o “Thalleco diria: Filha minha, tá fugindo de mim é?”

O texto bem humorado foi postado via Facebook pelo brother ‘Marco Telles’, que teria recebido do Thiago Zambelli via e-mail. Divulgação: Púlpito Cristão.



Um abraço no seu coração
Fique na Graça e na Paz do Senhor Jesus
Pr William Thompson


- DESGRAÇADAMENTE RICO




Por Carlos Moreira


Jesus nos fala sobre um homem infeliz no Evangelho de Lucas. Ele não era nem mendigo, nem enfermo, não padecia dos males comuns que matam os mortais. O problema do sujeito era excessos... Sim, ele sofria de um mal quase incurável: tornara-se insaciável.

A parábola nos relata a história deste amaldiçoado, um homem que tinha de um tudo, do bom e do melhor, mas sua alma não se saciava, era como pia que bebe água de torneira quebrada. De noite, ela sussurrava baixinho em seu ouvido: “é pouco, eu quero mais...”. 

Aquele tinha sido um ano especial por demais... Os celeiros estavam abastados, cheinhos até a boca, quase engasgados. E homem, em sua cadeira de balanço, olhava o resultado do seu penoso trabalho debaixo do sol. Era orgulho só! Dizia consigo mesmo: “Tudo isso fui eu que fiz”. Pitava o cigarro de palha, no entardecer do dia, e soprava a fumaça como chaminé de fábrica.

Mas havia em seu interior uma queimação, uma danação danada. Era comichão, dava tremelique e tudo o mais, suadez, cansaço e coriza. O homem olhava aquele amontoado de trigo no paiol e endoidecia: “É pouco!”, dizia, “Podia ter feito mais...”. Havia sobejos no campo, uma restinga de nada que se podia dar ao povo daquele lugar faminto, mas o peste não podia perder nem gota de suor.

Tenho observado a vida, apreciado um tipo de apetite que só se sacia com a terra da sepultura. Há homens que possuem tudo e são miseráveis de espírito, sim, são pobres, cegos e nus. Tristeza desgraçada é a alma não se fartar com nada, nem com ódio nem com amor, nem com pódios nem com dor. É como a garganta escancarada tentando beber a água do oceano inteiro, mas o mar todinho, para esse tal, não passa apenas de uma poça.

“Construirei celeiros ainda maiores e guardarei neles as minhas riquezas...”, afirmou o desenganado. E foi assim que desfez castelos, derrubou cercas, quebrou telhas, picotou o piso, botou tudo no chão, de riba até embaixo. Depois, sentou-se no alpendre, fez contas, planos, levantou paredes, alargou espaços, botou nova coberta e pintou tudo de encarnado, uma belezura que dava gosto de ver...

E foi assim que se foi o verão, cheio de canseiras e mesmices... Então descansou o desinfeliz! Com celeiros maiores, capazes de armazenar ainda mais trigo, ele agora dava-se por satisfeito. Mas até quando? "Não teria sido melhor fazer, pelo menos, um galpão a mais para eventualidades?", pensava. E se revolvia de um lado para o outro...

“Louco”, disse Jesus! Tens celeiros lotados e uma alma vazia. Possuis mais do que podes consumir e não tendo com quem repartir, de que te adianta tanta prosperidade? A riqueza só traz proveito se puder ser dividida. A produção de toda uma vida acaba apodrecendo nos celeiros do ser quando o fruto colhido se torna entulho de coisas no coração.




Um abraço no seu coração
Fique na Graça e na Paz do Senhor Jesus
Pr William Thompson